Detalhes do voo 447 vêm à tona

0
634

Análise inicial afasta hipótese de problema mecânico sério

O exame preliminar das caixas-pretas do voo 447, da Air France, indica que não houve disfunção mecânica na aeronave que caiu em 2009, matando 228 pessoas. Segundo especialistas que estão analisando o material, os pilotos do Airbus tentaram evitar zonas de turbulência, pouco antes de cair no Oceano Atlântico.

A primeira leitura não evidenciou um problema maior, como uma interrupção elétrica total, dos motores ou dos alarmes que fosse incompreensível para os pilotos, explicou Alain Bouillard, diretor de investigações técnicas do acidente aéreo do Escritório de Investigações e Análises (BEA). Ele não descarta, porém, a incidência de disfunções menos importantes na queda do avião.

Num primeiro momento, em uma nota interna, a Airbus anunciou aos seus clientes que o trabalho dos especialista não havia detectado a necessidade de mudanças ou recomendações imediatas às companhias aéreas. Imediatamente, membros do BEA criticaram a avaliação da fabricante, precipitada e sensacionalista. Já os parentes das vítimas disseram que a versão publicada pela imprensa de que um erro dos pilotos pode ser a causa principal do acidente é absurda.

O ministro francês de Transportes, Thierry Mariani, disse que as causaas do acidente devem ser reveladas apenas no final de junho, depois de uma análise completa do conteúdo das caixas-prestas.