Detenções de brasileiros em Pompano Beach assustam a comunidade

0
971

Comércio local registrou queda de 50% nos negócios, pois muita gente preferiu ficar em casa

A semana foi agitada na comunidade. Notícias de que a polícia de imigração realizava operações em vários pontos brasileiros, especialmente em Pompano Beach, deixaram nossos conterrâneos assustados. Apesar de muitas histórias inverídicas sobre uma suposta “caçada a indocumentados”, é fato que alguns imigrantes foram detidos na região.

Na Sample Road, por exemplo, uma equipe do ICE (Immigration and Customs Enforcement) esteve na Padaria 2000 e prendeu pelo menos quatro brasileiros. “Eram 7:30 am e seis agentes chegaram com um álbum de fotografias, tentando identificar alguns imigrantes que, pelo visto, tinham passagem pela polícia ou não compareceram à Corte”, confirmou um empresário que tomava café no local e preferiu não se identificar.

O fato foi confirmado pela proprietária do estabelecimento, Nancy Amaral, que notou uma redução de 50% no movimento na padaria nos dias seguintes ao ocorrido. “As pessoas ficam assustadas e preferem, então, não sair de casa”, lamentou a brasileira. Houve relatos de leitores do AcheiUSA também em relação a prisões feitas no mall do restaurante Feijão com Arroz e no plaza do Supermercado Seabra, mas nada foi confirmado.

As informações se espelharam pela comunidade via telefonemas, mensagens de texto (SMS) ou mesmo em rodas de conversa, muitas vezes de forma exagerada. “Estou no Brazilian Depot e há dezenas de agentes de imigração cercando o local, com ônibus e um helicóptero”, disse um leitor, por telefone. O clima de pânico tomou conta dos brasileiros por, pelo menos, dois dias.

O advogado Max Whitney costuma dizer que as atividades especiais do ICE são direcionadas, daí o uso das fotografias dos procurados: “Eles sabem quem querem pegar e vão direto ao ponto. Não existe essa história de colocar agentes num cruzamento onde vivem vários imigrantes para perguntar, um por um, quem está regularizado no país”, explica. Portanto, os alvos dos agentes são os criminosos e aqueles que já têm ordem de deportação.

O AcheiUSA tentou um contato com a assessoria de imprensa do ICE, sem sucesso, mas na página da agência há apenas o boletim sobre a operação realizada na semana passada . Vale lembrar que a secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano, descartou qualquer batida aleatória contra imigrantes nesta administração e reiterou que o foco está na busca de indocumentados que cometeram algum tipo de crime.

O fato foi confirmado também pelo sheriff da delegacia de Broward, Al Lamberti, em reunião com o pator Silair Almeida, uma das principais lideranças da comunidade. Lamberti contou que muitas vezes o ICE requisita policiais locais para suporte em determinadas diligências, mas esclareceu que não há qualquer ação generalizada contra os imigrantes.

Nesse sentido, Silair questionou o sheriff sobre prisões de indocumentados no trânsito. “Ele disse que os policiais são orientados a punir os infratores com multas, mas muitos indocumentados circulam sem identificação com foto. Por isso, o conselho do sheriff é que os brasileiros mantenham a calma e expliquem sua situação, sempre tendo em mãos uma identificação com foto e endereço”, contou Silair.
Al Lamberti disse ainda que é contrário à lei aprovada recentemente no Arizona e descartou qualquer possibilidade que a medida seja aplicada na Flórida.