Dilma adia viagem aos EUA em outubro

0
439

Motivo da decisão são denúncias de espionagem do Brasil por agência americana

DA REDAÇÃO – O Palácio do Planalto divulgou nota no início da tarde desta terça-feira (17) informando o adiamento da viagem que a presidente Dilma Rousseff faria a Washington em outubro. A nota deixa clara que a motivação do adiamento seriam as denúncias de espionagem pela Agência de Segurança Nacional americana teria espionado a presidente, seus assessores e a estatal Petrobras.

De acordo com a nota, “os dois presidentes decidiram adiar a visita de Estado, pois os resultados desta visita não devem ficar condicionados a um tema cuja solução satisfatória para o Brasil ainda não foi alcançada”.

“Tendo em conta proximidade da programada visita de Estado a Washington – e na ausência de tempestiva apuração do ocorrido, com as correspondentes explicações e o compromisso de cessar as atividades de interceptação – não estão dadas as condições para a realização da visita na data anteriorimente acordada”, diz a nota.

Ainda de acordo com a secretaria, o governo brasileiro espera que a visita de Estado ocorra o mais breve possível.

Casa Branca

Em nota oficial, a Casa Branca confirmou o adiamento da visita da presidente Dilma e informou que a decisão foi de comum acordo entre os dois presidentes. A nota afirma que o presidente Barack Obama entende e lamenta a preocupação do governo brasileiro no que diz respeito às supostas atividades de inteligência dos EUA e deixou claro que está empenhado em trabalhar em conjunto com a presidente Dilma Rouseff para resolver essa questão.

Os Estados Unidos e o Brasil têm uma parceria estratégica baseada em valores democráticos comuns e no desejo de promover o crescimento econômico e a criação de emprego. O convite do presidente Barack Obama para a primeira visita de Estado de seu segundo mandato é um reflexo da importância que ele dá a essa esta parceria global crescente e os laços estreitos entre o povo americano e brasileiro”, diz a nota da Casa Branca

Visita a Washington

Dilma chegaria no dia 23 de outubro à capital dos Estados Unidos para a visita de Estado. O único presidente brasileiro convidado para uma viagem nestes moldes foi Fernando Henrique Cardoso, em 1995.

A viagem de Estado está na mais alta categoria diplomática entre dois países e é realizada apenas duas vezes por ano pelos Estados Unidos. A visita inclui diversas pompas e cerimônias formais, como revista às tropas norte-americanas, visita às sedes dos três poderes e jantar de gala na Casa Branca oferecido pelo presidente Barack Obama.