Dilma prioriza educação e reforma política em discurso de posse

0
982

Cerimônia em Brasília marca o começo do segundo mandato da presidente

Dilma Rousseff tomou posse hoje para o seu segundo mandato como presidente do Brasil, numa cerimônia que começou com um desfile em carro aberto pelo Eixo Monumental, na capital do país, e terminou com um pronunciamento no parlatório do Palácio do Planalto para o povo reunido na Praça dos Três Poderes.

Antes da mensagem no parlatório, a presidente foi diplomada no plenário do Câmara de Deputados, onde fez seu discurso oficial de posse, na presença de autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, membros do Congresso e líderes mundiais, como o vice-presidente americano, Joe Biden, e o ex-presidente uruguaio José Mujica.

No discurso de posse, Dilma destacou os esforços de seu governo no sentido de enfrentar as dificuldades econômicas que impediram que o país crescesse nos últimos quatro anos no mesmo ritmo dos quatro precedentes. Ressaltou as conquistas sociais que continuaram a diminuir a desiguldade social no Brasil e prometeu prosseguir com as políticas de inserção social que foram a marca de seu primeiro mandato.

A educação foi anunciada como “a prioridade das prioridades” e a presidente revelou o novo lema para seu próximo governo: “Brasil, pátria educadora.” Outro ponto importante destacado por Dilma foi a necessidade de uma reforma política que modernize a estrutura política no país, o que foi corroborado no discurso do presidente do Congresso, Renan Calheiros, logo em seguida ao da presidente.

A corrupção e a crise de Petrobras não ficaram de fora do pronunciamento à nação. Dilma ressaltou que em seu governo houve transparência na administração e total liberdade investigatória para a Polícia Federal e o Ministério Público no sentido de apurar com independência todas as denúncias. A presidente disse que essa política resultou num combate inédito à corrupção na história do país e conclamou um pacto entre os poderes da República para prosseguir no combate, e anunciou um pacote de medidas administrativas a ser enviado ao Congresso para intensificar as ações punitivas às práticas de enriquecimento ilícitas e de caixas-dois.

Dilma ressaltou a necessidade de preservação da Petrobras como reserva patrimonial do Brasil, principalmente para que os recursos gerados por ela através da exploraçao do pré-sal possam ser revertidos para os investimentos futuros necessários na nova prioridade adminstrativa do governo, a educação.