Diretores escolares de Dade prontos para demitir 30 professores em fraudes de credenciamento

0
560

Sindicato dos Professores, no entanto, defende alguns professores que juram inocência

O distrito escolar de Miami-Dade recomendará à sua direção a demissão de 30 professores que supostamente estão envolvidos numa fraude de credenciamentos falsos, conforme foi divulgado nesta terça-feira(28/02).

Dezenas de outros professores já se aposentaram ou deixaram o sistema escolar, e os policiais estão investigando outros 350 que estariam no mesmo esquema montado por um professor de ensino secundário de Miami-Dade, segundo noticiou o jornal The Miami Herald. Ao mesmo tempo, o distrito escolar do condado de Broward abriu sua própria investigação para apurar as denúncias de que nove professores estariam conectados ao esquema.

A lei da Flórida exige que os professores da rede pública tenham o equivalente a seis créditos educacionais a cada cinco anos para manter suas licenças. Em novembro passado, o ex-professor da Palmetto Senior High School, William McCoggle, que argumentou estar oferecendo a continuidade das classes de educação através de uma empresa privada, admitiu vender transcrições de continuidade de educação para professores que nunca fizeram os cursos.

“Estamos satisfeitos por estar chegando ao fundo de uma coisa muito profunda e suja ”, revelou Joseph Garcia, porta-voz do superintendente de Miami-Dade, Rudy Crew. “Não teremos professores que enganaram o público e as crianças nas salas de aula .”

O sindicato dos professores disse que pelo menos alguns dos 30 que o distrito quer demitir negaram ter feito algo errado e desafiarão o distrito a provar seus erros. “Isto é como jogar uma rede de peixes e infelizmente muitos mamíferos marinhos foram pegos e afundaram neste tipo de rede”, exemplificou Karen Aronowitz, presidente do Sindicato dos Professores de Dade.

McCoggle concordou em cumprir dois anos de prisão como parte do acordo com os promotores públicos e deve pagar até $100,000 em restituição.

Os policiais de Miami-Dade estão investigando pelo menos dois outros professores que alegadamente ajudaram a empresa de McCoggle, Moving Through Education and Training.

Pelo menos 13 professores cujas assinaturas foram forjadas por McCoggle foram inocentados, disse Ronda Vangates, assistente do Conselho.

McCoggle oferecia os créditos através de acordos com quatro universidades de outros estados. Os promotores de justiça disseram que ele embolsou milhares de dólares enquanto estava administrando o programa entre 2002 e 2003.