Doente com tipo perigoso de tuberculose é internado nos EUA

0
765

Andrew Speaker só pode sair do quarto para se submeter a exames médicos

O americano Andrew Speaker, um advogado de 31 anos, foi diagnosticado com um tipo muito perigoso de tuberculose e internado na quinta-feira, 31, num hospital especializado na doença. A gravidade fez com que os diretores dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, sigla em inglês) emitissem uma ordem de quarentena pela primeira vez desde 1963.

Speaker foi levado do hospital Grady Memorial de Atlanta (Geórgia) ao Aver´s National Jewish Medical and Research Center de Denver (Colorado).

O doente declarou na quarta-feira, 30, em entrevista a um jornal de Atlanta que viajou em dois vôos transoceânicos antes da internação. O primeiro foi para sua lua-de-mel, e o segundo porque temia por sua vida.

O porta-voz do hospital do Colorado, William Allstetter, declarou em entrevista coletiva que o paciente foi transportado num avião particular. Ele entrou no centro médico caminhando e tinha um aspecto saudável, acrescentou.

Speaker só sairá do seu quarto para se submeter a exames médicos e ficará internado “durante várias semanas”, segundo o porta-voz. Ele já foi submetido a testes de sangue e a uma análise radiológica.

Em entrevista coletiva na quinta-feira à tarde, a médica Gwen Huitt, que trata do doente, informou que em princípio ele será submetido a um primeiro tratamento com cinco antibióticos.

Além disso, ela explicou que o paciente se encontra “extremamente bem”, não tosse, não tem febre e não parece que possa infectar outras pessoas, já que a presença da bactéria em seu corpo é muito baixa.

No entanto, o pessoal do National Jewish Medical and Research Center que atende Speaker usará máscaras.

Huitt disse que não se sabe como Speaker contraiu a doença, que descobriu com uma radiografia realizada após uma lesão no quadril.

O sogro do doente, Bob Cooksey, informou que trabalha num laboratório dos CDC destinado à prevenção da tuberculose e deu assessoria ao seu genro quando soube que ele tinha contraído a doença. Se soubesse que a sua filha estava em perigo, acrescentou, não teria permitido que eles viajassem juntos.

As viagens
Speaker disse que viajou de Atlanta a Paris e depois à Grécia para se casar e viajar em lua-de-mel. Em nenhum momento os médicos disseram a ele para não viajar, apesar de terem recomendado que adiasse a cerimônia, acrescentou.

Antes de viajar à Europa, em 12 de maio, no vôo 385 da Air France, ele já estava ciente de que sofria de uma forma de tuberculose resistente aos remédios, mas não sabia que era tão perigosa.

“Fui à Grécia pensando que tudo estava sob controle”, disse. Mas durante sua estadia na Itália os médicos explicaram que ele tinha uma forma muito perigosa da doença. Recomendaram então o seu isolamento e que procurasse às autoridades médicas italianas.

No entanto, e apesar das recomendações, o doente decidiu retornar para o seu país via Praga e Montreal, em 24 de maio, no vôo 0104 das linhas aéreas tchecas Czech Air. Ele entrou nos EUA por terra, usando a passagem fronteiriça de Champlain, no estado de Nova York.

Speaker explicou ao jornal de Atlanta que voou de volta porque temia não receber fora dos EUA o tratamento adequado para sobreviver.

A CDC recomendou aos passageiros e à tripulação do vôo que se submetam a exames médicos.

A tuberculose é uma doença contagiosa causada por bactérias que costumam infectar os pulmões. Também pode afetar os rins, o cérebro e a espinha dorsal.