Histórico

Duas lojas brasileiras são arrombadas em Deerfield Beach

As lojas visadas foram Cellular Zone, de Dorival Gonçalves (foto), e USA-Brazil, na Federal Highway

Em ato milimetricamente planejado, bandidos arrombaram e roubaram duas lojas brasileiras em Deerfield Beach (700 S Federal Hway), na madrugada desta quinta-feira (20). Não há, por enquanto, pistas dos suspeitos, mas a polícia está investigando o caso que chama a atenção da comunidade pela forma como aconteceu.
Os ladrões tinham como alvo a Cellular Zone, do empresário Dorival Gonçalves, mas usaram a loja brasileira USA-Brazil, que seria inaugurada nesta sexta-feira (21), para chegar até a loja de eletrônicos.
O fato aconteceu de madrugada quando os bandidos entraram na USA-Brazil, que não tinha ainda sistema de alarme instalado. “Como ainda não tínhamos aberto as portas ao público, não nos preocupamos em colocar alarme antes”, afirmou o casal goiano Sandro e Lavínia Correia, que chegaram do Brasil há três meses para abrir essa loja.
Ao entrarem na USA-Brazil, os ladrões pegaram uma escada que estava dentro da loja e, por detrás do prédio, cortaram as instalações telefônicas e elétricas que controlam os sistemas de alarme. Depois quebraram o telhado da Cellular Zone para desligar a bateria – o alarme tem uma bateria que é acionada no caso de falta de energia.
Em seguida, os bandidos provavelmente tentaram entrar na Cellular Zone pela porta dos fundos, que é reforçada com barras de ferro. Como não conseguiram entrar, voltaram para a loja de roupas, quebraram a parede que divide as duas lojas, e invadiram a loja de Dorival.
Lá dentro, viraram as câmeras de segurança para que não fossem vistos e reviraram a loja (computadores, caixas registradoras e outros equipamentos) na tentativa de encontrarem algum dinheiro. Nenhum aparelho telefônico ou eletrônico foi levado; o alvo foi a sala dos fundos, onde Dorival mantinha o dinheiro e os cheques que recebe dos clientes. O montante roubado não foi revelado, mas o empresário afirma que foi uma boa quantia.
Dorival oferece, em sua loja, serviços de remessa, além de receber o pagamento de serviços da companhia telefônica Metro PCS. Como só foi roubado dinheiro e cheque, o seguro da empresa não cobre o prejuízo. “Eu tinha pelo menos uns 60 cheques de clientes aqui, além de cash”, afirma Dorival, que está tentando entrar em contato com os clientes para sustarem seus cheques no banco.
Na loja de roupas, o prejuízo foi pequeno. “Ainda não fizemos as contas, mas não foi grande prejuízo porque tínhamos poucas peças aqui”, declara Lavínia, que deveria levar toda sua mercadoria para a loja nesta quinta-feira. “Mas para nós é um péssimo começo; viemos fazer nossa vida num país que deveria ser seguro e acontece algo assim antes mesmo de abrirmos a loja”, afirma Sandro, que juntou as economias e resolveu sair de Goiânia, cidade natal, para recomeçar vida nova aqui na Flórida.
Essa foi a segunda vez que a loja de Dorival foi assaltada. A primeira vez foi em agosto de 2004, após um furacão. A loja ficou sem energia e, aproveitando-se da vulnerabilidade, ladrões arrombaram a loja. Na ocasião, foram levados apenas aparelhos celulares.

Baixe nosso aplicativo