E Adriana Villaverde voltou

0
655

Depois de ter ganho a guarda do filho, a mulher decidiu voltar ao Brasil com o menor

Realmente, o imbroglio entre a família Naves e Adriana Villaverde parece ter chegado ao fim com o retorno dela e do filho Pedro ao Brasil. A mulher sequer compareceu à audiência marcada na corte, em Broward, para expor seu caso ao juiz.

Viviane Naves, cunhada de Adriana, confirmou que ela e o irmão (marido de Adriana) estiveram na corte, acompanhados pela advogada, no dia marcado, quando foram notificados de que a outra parte desistiu de comparecer. Agora, isto configurou-se como sequestro, segundo os policiais que estão cuidando do caso, afirmou Viviane que não quer mais o sobrenome de sua família ligado ao de Adriana: O nome dela é Adriana da Cunha Villaverde. Naves é o sobrenome de minha família, o qual ela em breve não mais usará porque já estão em processo de divórcio.

Segundo ela, a intenção de Adriana seria apenas se legalizar aqui nos EUA, por isto montou esta farsa, uma vez que ela não reuniu evidências de ter sofrido abuso doméstico, e os policiais que ouviram o menino confirmaram que Pedro disse nunca ter visto seu pai bater na mãe.

Elora Andrade, advogada de Adriana, ficou perplexa com a decisão de Adriana, mas disse ter compreendido o motivo pelo qual ela fez isto: Foi uma decisão conjunta entre ela e a família no Brasil. E isto não configura sequestro porque, segundo as leis americanas, um pai legítimo pode viajar com o menor, desde que tenha os documentos em ordem.

De qualquer maneira, ela faz questão de enfatizar que a decisão de Adriana foi contrária à sua orientação. Ela inclusive assinou um documento no qual informei sobre as leis e as consequências de seu ato”, afirmou Elora, que ficou sabendo no mesmo dia da audiência que Adriana já estava no Brasil. Agora, o caso passou para a jurisdição brasileira, uma vez que tanto ela como o marido e o filho são cidadãos brasileiros, finalizou.