“É como fazer gol em final de Copa”, diz brasileira que tocará no Carnegie Hall

0
868

Nascida em MG mas vivendo no Rio, pianista Simone Leitão se prepara para tocar na conceituada casa de shows nova-iorquina, em noite beneficente da BrazilFoundation

DA REDAÇÃO – A pianista brasileira Simone Leitão se prepara para subir ao palco de uma das mais importantes e lendárias instituições do entretenimento de New York: a casa de shows Carnegie Hall, em Manhattan. Em 19 de maio, Simone apresentará um recital em que homenageia os 450 anos do Rio de Janeiro, em noite beneficente em que todo o valor arrecadado com a bilheteria será revertido a projetos apoiados pela BrazilFoundation no Estado fluminense.

“É como fazer gol em final de Copa do Mundo no Maracanã”, diz ao AcheiUSA a artista, empolgada com a apresentação no local, em atividade desde 1891. “Poder tocar nessa casa é acima de tudo saber que você tem uma voz e uma presença no cenário do mundo de concerto. É uma consagração. É saber que você faz parte de um time seleto.”

No repertório que Simone levará ao público nova-iorquino estão obras de nomes como Villa-Lobos, Antonio Carlos Jobim e Chiquinha Gonzaga. Entre os compositores internacionais que terão obras tocadas pela pianista, que nasceu em Caratinga (MG) mas vive no Rio, estão Bach e Beethoven.

No arremate da apresentação uma surpresa: Simone toca ao piano “Cidade Maravilhosa”, em alusão à cidade que fascina gringos com suas paisagens e cultura. Esta será a quarta vez em que Simone se apresenta nos Estados Unidos.