Empresa americana investe $3,7 bilhões no Rio Grande do Sul

0
1404

Transgas quer usina termelétrica e fábrica de fertilizantes nas cidades de Minas de Leão (a 100 km de Porto Alegre) e Candiota (a 400 km da capital gaúcha)

DA REDAÇÃO (com Folha de S.Paulo) – Após assinar um protocolo de intenções com o governo do Rio Grande do Sul, no fim de março, para construir uma fábrica de fertilizantes, a americana Transgas projeta a instalação de uma termelétrica no Estado, informa o jornal Folha de S.Paulo.

A usina deverá demandar um aporte aproximado de $1 bilhão e ficará na cidade de Minas do Leão (cerca de 100 km a oeste de Porto Alegre). A empresa já adquiriu o terreno.

Na fábrica de fertilizantes, serão investidos outros $2,7 bilhões. A planta produzirá fertilizantes a partir de carvão gaseificado.

“Optamos pelo Brasil justamente por ser um país que precisa de fertilizantes e que tem carvão para produzi-los”, diz o presidente do grupo, Adam Victor.

Antes de escolher Candiota (400 km ao sul da capital gaúcha) para sediar a unidade, a companhia estudou municípios catarinenses. “O problema é que, para o fertilizante ter um preço bom, o carvão precisa estar a céu aberto, como encontramos no Rio Grande do Sul. Em Santa Catarina, teríamos um custo extra com mineração”, diz o executivo Francisco Filho.

A fábrica será semelhante à que a companhia tem West Virgina, nos EUA, e terá tecnologia desenvolvida pela alemã ThyssenKrupp.

Gás sintético
O processo extrai gás sintético a partir do carvão. Desse gás, é possível produzir fertilizantes de amônia, como nitrato de amônia e ureia. A planta terá capacidade para fabricar 2,1 milhões de toneladas de ureia por ano.

As obras deverão começar em um ano e meio e levar até 39 meses para serem concluídas. O grupo planeja ainda um terceiro projeto no Brasil, no segmento químico.