Entrevista: Brothers of Brazil in the USA

0
1038

Os irmãos Suplicy fazem uma turnê pelos EUA mostrando um mix de bossa nova, samba, rock e funk

Por: Tonia Elizabeth
tonia.elizabeth@hotmail.com

A música do Brothers of Brazil está se espalhando pelos Estados Unidos e Europa. O BOB é formado por Supla e João Suplicy. Os irmãos criaram a pinkanova, combinando  elementos  da música brasileira considerada tradicional, como a bossa-nova e o samba, com rock e funk  que, segundo a dupla,  ganhou milhares de fãs por todos os lugares pelos quais passaram.

Com um trabalho bem original, o Brothers of Brazil está terminando uma turnê nos Estados Unidos e começa outra no  Reino Unido, onde vão se apresentar em locais como Londres e Manchester. A turnê americana incluiu cidades da Geórgia, Texas e Flórida. Nesta última, a agenda destaca os shows em Orlando, no dia 29, e Saint Petersburg, no dia 30.

O duo teve início com o programa de televisão que os irmãos apresentavam na Rede TV, o Brothers, quando perceberam como se complementavam. Após quase três anos, com o fim do show televisivo, João e Supla decidiram investir na carrreira musical a dois.  O álbum de estréia foi produzido por Mario Caldato Jr.

Uma das músicas mais famosas da dupla é a Samba Around The Clock, que possui um balanço fusion delicioso. Outro destaque é a Paparazzi. João explica que ambos adoram rock e música brasileira e a música do Brothers of Brazil traz essa mistura.  E Supla acrescenta: O mais importante é ter uma música boa, porque se a música é ruim, não faz diferença quantos estilos você mistura. Acho que a gente traz uma coisa diferente: dois irmãos cantando com uma harmonia ótima, uma bateria louca de rock e jazz, violão com o dedão fazendo o baixo e sem baixista.

O Brothers já participou de diversos festivais, como o Planeta Terra, o SWU Music and Arts, Rock in Rio em Portugal…  e agora tem o lançamento internacional do disco.  A nova turnê aconteceu depois da participação da dupla, por 17 dias,  na Warped Tour, um festival itinerante que mistura música com esportes radicais e que teve início como uma vitrine para o punk rock mas que, hoje, apresenta uma grande diversidade musical. 

Esta não é a primeira vez que a dupla se apresenta por aqui. Eles fizeram 10 dias de shows em Nova York, em fevereiro, como narra João Suplicy:  Uma agente, que atua na Warped Tour, viu  a gente e nos convidou para participar da turnê. Perguntou se tínhamos gravadora no exterior e nos apresentou ao pessoal da gravadora SideOneDummy Records e nós fechamos um contrato com ela. Fizemos alguns shows na Inglaterra… depois, fizemos uma temporada de uns vinte shows na Califórnia… e agora estamos fazendo shows com a banda The Aggrolites, que conhecemos na Warped Tour. 

Ele revela que o público é, em sua maioria, americano mas, em certas cidades com

concentração de brasileiros, os conterrâneos têm prestigiado o trabalho do Brothers. Segundo João, a receptividade do público tem surpreendido: estamos trabalhando muito! Ele explica que gostariam de vir à Broward ou Miami, mas a agenda é feita pelos empresários do Brothers e  do Aggrolites. Eles esperam poder vir ao Sul da Flórida antes do fim do ano.

João e Supla definem o som da dupla como PunkaNova. O visual dos irmãos mostra essa dualidade: Supla, com o visual punk-rock e João, mais estilo Elvis Presley, anos 50.  Segundo João Suplicy, Supla traz o rock e ele a bossa-nova. 

Embora comecem a fazer sucesso no exterior agora, a jornada dos dois teve início há muito tempo. Supla começou a tocar aos 13 anos: Com 13, 14 anos, eu já estava tocando na noite de São Paulo. Ele revela que seu maior ídolo na batera é Ringo Starr. Outro favorito é o Buddy Rich.

Supla fez parte de várias bandas, como Metrópolis, Zigue-Zague, Tokyo, participou como ator de várias telenovelas, como Celebridade (Rede Globo), shows e filmes, como O Poeta Da Vila,  Sua Excelência o Candidato e Rock Estrela, ao lado de Malu Mader, Andréa Beltrão e Diogo Vilela. Também tocou ao vivo ou gravou com artistas de peso. Em 95, Supla passou um tempo em Nova York e formou o grupo Psycho 69, que chegou a lançar um disco no mercado.

João, mais novo que Supla, também tinha carreira solo. Entre 93 e 94, também morou nos Estados Unidos. Estudou música em Los Angeles. João Suplicy conta que gravou três discos solo com músicas originais em português, na linha chamada MPB. Chegou a gravar também com o Roberto Menescal: um disco de músicas do Elvis Presley em bossa-nova. Ele não fala sobre sua relação que teve com a atriz Maria Paula (Casseta e Planeta), que gerou dois filhos, mas diz que ficou sabendo do sucesso do filme De Pernas Pro Ar no recente Festival de Cinema Brasileiro em Miami.

Os dois irmãos também evitam o assunto pai e mãe. Afinal, são filhos não de um, mas dois políticos brasileiros de peso: Eduardo e Marta Suplicy. João revela: Já tive tempo para me acostumar com isso. Eu pergunto ao Supla se não surge uma cobrança por serem filhos de políticos de alto escalão e ele diz: Deve ter, mas eu não me importo. Isso é o bom daqui. Ninguém sabe que a gente é filho de político. Mas será que nunca usaram a música para nenhuma mensagem política? Supla comenta, sem comprometer-se: A música é boa para tudo. Vale tanto para falar de política, como falar de amor, fazer uma crítica… o que você achar interessante no momento. O importante é o que você está sentindo no coração.

Se você quiser conferir o trabalho e a agenda do Brothers of Brazil, acesse a página da dupla no www.brothersofbrazil.com

Tonia Elizabeth é jornalista e também locutora. Atuou como produtora de companhias de publicidade e canais de televisão a cabo e satélite. Foi hostess do programa Entertainment Tonight por dois anos, na versão brasileira. É também cantora de Brazilian Jazz e gravou e fez shows com artistas consagrados.