Entrevista: Cristina Arcanjo, nasce uma artista

0
1031

A empresária da área de comunicação Cristina Arcanjo é um ser itinerante. Nascida em Belém, capital do Pará, radicou-se com a família no Rio de Janeiro, onde se formou em Jornalismo e trabalhou em várias mídias.

A paixão por um americano, entretanto, a trouxe para Miami, onde mora há quase 20 anos. O casamento acabou, o amor pela cidade, porém, continuou. Mais do que isto, serviu para que ela despertasse a artista que sempre esteve dentro dela, mas estava dormente, encoberto pelas cinzas da vida corrida, da necessidade de se envolver com outros projetos mais imediatistas.

Agora, mais tranquila em sua vida pessoal, Cristina está voltada para tornar realidade o sonho de ver sua arte expostas nas galerias e museus de todo o mundo. O AcheiUSA entrevista esta promissora artista plástica às vésperas do lançamento da Art Basel, o maior evento de arte moderna do sul da Flórida.

AcheiUSACristina, fale um pouco sobre você: onde nasceu no Brasil? Há quanto tempo vive nos EUA, etc.
Cristina Arcanjo Nasci no Pará, mas me criei no Rio. Vivo aqui há mais de 15 anos, sempre na Flórida. Adoro Miami!

AU: Você fazia o que no Brasil? Aqui, mudou de atividade? Desde quando começou a pintar? Você estudou arte ou é algo intuitivo?
CA: Vejo a minha vida como o meu laboratório. Eu me formei em Jornalismo na Gama Filho.Trabalhei muito tempo na área de comunicação. Adorei trabalhar em televisão, rádio, jornal e revista! A arte está no meu sangue. Desde pequena, adorava brincar com as linhas. Para mim, tudo começa com uma linha.

AU: Como você faz para se manter? Divide seu tempo entre as artes plásticas e outra atividade ou dedica-se integralmente à sua paixão?
CA: Tenho uma empresa de consultoria. Ainda não está dando para eu me dedicar integralmente à minha paixão. Mas esse dia está chegando….

AU: Você colocou um quadro numa loja da Lincoln Road. Como conseguiu fazer algo que desse tanta visibilidade?
CA: Simplesmente adoro o que faço. Sou uma apaixonada pela vida! Cheguei na galeria e falei dos meus quadros, pedindo uma oportunidade. E aconteceu! Toda vez que eu via o meu quadro na galeria da Lincoln Road era uma emoção super forte. O universo é mesmo lindo!

AU: Como você cria sua arte: por inspiração, por observação da realidade ou por algo criativo/transcendente?
CA: Tem uma força superior que cria os meus quadros. É difícil de explicar. É como se eu fosse somente o instrumento da criação.Empresto a minha mão. A força vem de algum lugar sagrado.

AU: Qual o artista que você tem como ídolo ou que serve de inspiração?
CA: Tenho muitos ídolos. Adoro as pinturas de Claude Monet.

AU: Você tem algum marchand ou divulga e vende seu trabalho por si mesma?
CA: Ainda não tenho ninguém, mas estou procurando. Tem alguma sugestão?

AU: Os trabalhos que você já produziu são suficientes para uma exposição individual? Ou você prefere começar a participar de mostras coletivas?
CA: Participei de várias coletivas. Em setembro/2011, na Galeria Collection Privee (918 Lincoln Road); em 2011 C Kids Arte & Leitura (Art & Reading); em março de 2009, no Miami Science Museum Gala at Mandarin Oriental Hotel; em 15 de novembro de 2008, na Signs at Art Rouge Gallery, no Wynwood Art District, em Miami; em 2007, Arts on Newsprint, no Projeto Miami Herald.

AU: Soube que você tem interesse em mostrar suas obras na Art Basel em Miami Beach. Você montou uma estratégia para atingir este objetivo?
CA: Sei que vou ter a minha obra na Art Basel (no Convention Center) algum dia. Tenho pensamento positivo! Mas meus quadros estarão expostos na Galeria Collection Privee, localizada na Wynwood, e também no The Masters’ Mystery Art Show, no Ritz-Carlton, em Miami Beach.

AU: Você poderia citar o nome de alguma celebrity que possui um quadro teu? Ou você ainda faz artes plásticas há pouco tempo e não houve oportunidade para tornar seu trabalho mais conhecido?
CA: Não. Ainda não vendi a minha arte para nenhuma celebridade. O meu sonho é vender um quadro para a família Clinton que eu adoro! Tenho absoluta convicção de que meus quadros estarão nos melhores museus do mundo. Sou uma sonhadora!