Entrevista: Em Miami, Ivete falou sobre a carreira internacional, sua paixão pelo Brasil e a superprodução de New York

0
408

“Minha maior ambição ainda é o meu país”

Por Vanuza Ramos

Uma Ivete Sangalo madura, centrada e com foco profissional bem difinido passou pela Flórida no fim de semana, e recebeu a imprensa para uma entrevista coletiva. Se dividindo entre o inglês e o português, a “Beyoncé do Brasil” deixou claro que o seu objetivo, no momento, é entrar com pé direito no mercado internacional. Para isso organizou através da sua própria produtora, a Caco de Telha, essa super-turnê americana, que termina neste sábado, dia 4, no Madison Square Garden, em New York.

No showroom da Gibson, em Miami, a cantora falou sobre essa empreitada. “Estou dando um passo enorme na minha carreira. Tenho muita ambição internacional, mas minha maior ambição ainda é o meu país. O Brasil é grande. Ainda tem muito terreno para se conquistar lá”, declarou a baiana.

Apesar da paixão pelos fãs brasileiros, ela afirmou que pretende estreitar os laços com o público norte americano. “Com essa produção queremos criar vínculos com a América do Norte. Acho que os EUA está pronto para receber essa informação (influência cultural) da Bahia”, destacou.

Sobre a carreira internacional, ela afirmou ainda que vem no momento certo. “Nós, artistas, escrevemos uma história. Não temos que ter ansiedade de fazer carreira internacional. Eu mesma não deixo a vaidade atropelar os passos da minha carreira. A gente tem que saber reconhecer a hora certa. Não ser ansioso, nem perder o ‘timing’. Acho que esse momento chegou pra mim”, destacou.

Quando questionada sobre a dificuldade dos artistas brasileiros em se estabelecerem no mercado dos EUA devido à barreira da língua, Ivete foi contudente: “Eu não entendo essa resistência que há nessa questão de língua. Acho que a diferença que nos afasta (a língua), também pode nos aproximar. Acho que posso conquistar outros mercados, mesmo cantando em português. Mas é tão carinhoso quando alguém vai no Brasil e canta em português que não custa nada vir aqui e cantar em inglês. É uma questão de carinho e respeito com o país onde você se apresenta’, declarou Ivete.

Para driblar essa barreira a baiana aposta num repertório inédito, gravado em espanhol, português e inglês, que devem ser o carro-chefe do DVD que ela grava neste fim de semana, no Madison Square Garden. “Quero começar conquistando o público latino, com quem me identifico muito. Por isso convidei o Juanes, Diego Torres, Winsin & Yandel e Nelly Furtado para fazerem parte desse show”, diz. Com Nelly, ela grava uma música composta em inglês (“Where It Begins”), numa parceria com a cantora canadense, filha de portugueses. Com os latinos também vai gravar algumas músicas inéditas, em espanhol e português. “Vou cantar muitas núsicas inéditas, em várias línguas, mas o show também terá muitos sucessos porque, no final das contas, eu venho aqui para matar a saudade desse público”, arrematou a cantora, que foi citada esta semana pelo New York Daily News como a “Beyoncé do Brasil”.

Ivete se apresenta dia 4, em New York, onde grava o CD e DVD “Multishow Ao Vivo – Ivete Sangalo no Madison Square Garden”. Ela promete “descer a madeira. Fazer um grande carnaval”, como fez em Miami-FL e Worcester-MA. O investimento para esse show foi de mais de 5 milhões dólares e conta, na produção, com o talento de Nick Wickham, que também produziu shows de Madonna.