Entrevista: Natália Castro retorna à Flórida pela primeira vez desde o Big Brother Brasil

0
2204

Agora uma celebridade, ela será DJ convidada da ‘Festinha’

Depois de quase seis meses, Natália Castro está de volta à Flórida. A ex-Big Brother Brasil, que integrou a 11ª edição de um dos programas de maior audiência da televisão brasileira, vem para participar, como convidade especial, do aniversário de um ano da ‘Festinha’, na próxima sexta-feira (20 de maio). Agora uma celebridade, a mineira Natália morava em Deerfield Beach e chegou a trabalhar como analista criminal de um escritório de advocacia em Fort Lauderdale. Em entrevista exclusiva ao AcheiUSA, ela conta um pouco da experiência na casa mais famosa do Brasil, fala de suas expectativas em relação ao seu retorno ao sul da Flórida mesmo que por poucos dias e agradece a comunidade o apoio durante a jornada chamada BBB. Estou morrendo de saudades e e gostaria de agradecer pessoalmente a todos que torceram e vibraram comigo, disse Natália. É claro que ela espera toda a comunidade na ‘Festinha’ do dia 20, na Vila 221, para dançar muito.

AcheiUSA: Qual o principal aprendizado de participar de um BBB?  
Natália: Tudo lá dentro é muito intenso. Cada palavrinha, se torna gigantesca. Você acaba aprendendo a moderar suas palavras e atitudes também. Outra: antes do programa começar, ficamos uma semana confinados, sem contato com o “mundo exterior” por uma semana. Você acaba aprendendo muito sobre você. Aprende como reage a certas situações, como é no dia a dia, suas manias que incomodam os outros, enfim….é uma grande escola para conhecer o ‘eu’.

A: O que mais mudou na sua vida para melhor e para pior?
N: Tudo. Morava há 15 anos nos Estados Unidos, hoje estou morando no Rio de Janeiro. Eu tinha uma rotina, um trabalho fixo, hoje eu vivo uma loucura chamada vida pós-BBB. Todo mundo me conhece, minha vida foi exposta, qualquer lugar que eu vá as pessoas falam comigo como se tivessem a maior intimidade, e também recebo muito carinho de desconhecidos. Isso tudo é muito legal. Mudou para melhor, graças a Deus.

A: Na casa você foi taxada de autoritária. Você acha que sua personalidade forte mais ajudou ou atrapalhou na convivência com os outros participantes?
N: Não sei, mas as pessoas confudem personalidade forte, opinião própria e índole com autoritarismo. Sou o que sou, e tenho orgulho de dizer que não fiz tipo, ou não deixei corromper meu caráter por um milhão R$ 1.5 milhão.

A: Você sentiu que os homens da casa (principalmente) se sentiram ameaçados por você, não apenas pela personalidade, mas também pela sua resistência física de triatleta?
N: Com certeza. Isso foi dito dentro e fora da casa. Eles me achavam muito forte tanto para o jogo como para as provas de resistência.

A: Por falar nisso, é verdade que você vai participar do Iron Man? Como estão os treinamentos?
N: Vou participar do Ironman Brasil de 2012. Os treinamentos estão ótimos, treino todos os dias e durante o ano participarei de várias provas de triatlo curto e corridas também, como treinamento. Além disso, estou tendo o privilégio de ser treinada por um ícone do esporte, que é o Alexandre Ribeiro, tetracampeão mundial do Ultraman.

A: Você tinha uma carreira jurídica bem encaminhada aqui nos EUA. Pensa em voltar a viver aqui e retomar esses planos ou os últimos quatro meses mudaram seu foco? Quais são os planos para o futuro?
N: Nunca descartei a possibilidade de voltar a morar nos EUA. Tenho uma profissão, e tenho portas abertas aí, e quando eu estiver pronta para voltar, tudo meu estará a postos. Mas, por enquanto, não há essa possibilidade. Estou trabalhando bastante aqui no Brasil, graças a Deus, e agarrando todas as oportunidades que estão surgindo no momento.

A: É possível manter amizade com os brothers & sisters no mundo real?
N: É sim, o que se vê lá dentro, é exatamente o que é aqui fora. Quando existe uma inimizade dentro da casa, aqui fora continua do mesmo jeito. Continuo amiga de todos que tive afinidade lá dentro Diana, Lucival, Janaina, Cris, Michelly etc..
.
A: Qual a imagem que você acredita ter deixado para o Brasil depois de quase dois meses em exposição 24 horas por dia?
N: Tenho recebido muitos elogios pelo meu caráter, minha personalidade e índole. Creio que passei a imagem da mulher de hoje, que tem opinião própria, que é independente, sabe se impor sem ter medo de julgamentos.

A: Foi difícil a decisão de posar nua? Como você encarou este desafio?
N: Não foi fácil tomar essa decisão, considerando a minha profissão, mas valeu a pena. Encarei como um trabalho. Todos da Revista Sexy são extremamente profissionais e ficou um trabalho lindo, e de muito bom gosto. 

A: A comunidade do sul da Flórida vibrou com a sua participação no BBB. Qual a sua expectativa para o retorno à região?
N: Agradeço a todos da comunidade do Sul da Flórida que torceram e vibraram comigo nessa jornada que foi o BBB. Estou morrendo de saudades da minha casa, minha família, meus amigos. Não vejo a hora de voltar, rever a todos, e agradecer pessoalmente a todos.

A: Como surgiu o convite para A Festinha? Qual será sua participação no evento? Você certamente já tinha ouvido falar da festinha… Pretende reunir seu grupo de amigos naquela noite?
N: Quando morava nos EUA e fazia parte da comunidade brasileira é claro que já tinha ouvido falar muito (e muito bem) da Festinha! O convite surgiu dos organizadores da festa, falaram que estarão comemorando um ano de evento e perguntaram se eu gostaria de ser a hostess e DJ. Fiquei lisonjeada, super-feliz com o convite, e estou animada. Será uma oportunidade de reunir e rever meus amigos em grande estilo. E também gostaria de convidar a todos do Sul da Flórida para se divertir e dançar muito com a gente no dia 20 de maio na Vila 221.