Especial: Araújo Castro: ‘Dei sorte no consulado’

0
673

Em entrevista ao AcheiUSA, embaixador destaca o empenho e dedicação da equipe em Miami

Luiz Augusto de Araújo Castro está deixando o comando do Consulado Geral do Brasil em Miami no final de julho. Em 15 de agosto, os floridianos terão um novo cônsul. Seu nome é Helio Vitor Ramos Filho. Esta é a notícia factual, mas por trás da rigidez dos fatos esconde-se a saudade que Araújo Castro deixará na comunidade, por seu jeito descontraído e afável bem característico dos cariocas. Vale lembrar que, apesar de criado no Rio de Janeiro, a ligação com os Estados Unidos é atávica. Afinal, filho de diplomata, ele nasceu em Nova York, onde seu pai servia na época.

Luiz Augusto de Araújo Castro
A vida de diplomata é, por natureza, itinerante. Os funcionários de carreira ficam um período num local e, quando as pessoas se acostumam com suas presenças, eles são transferidos para outros postos. Este é o caso de Luiz Augusto de Araújo Castro, que veio para o Consulado Geral de Miami em janeiro de 2008 e, três anos e meio depois, assume novos desafios. “Adoro Miami, mas Washington é também uma cidade que eu gosto muito. Já havia servido lá antes em duas oportunidades: uma na década de 80 e outra na década de 90”, contou o embaixador.

Parece que o continente americano é mesmo base de sua atuação, porque antes de vir para cá Araújo Castro havia servido em Lima, capital do Peru, e anteriormente esteve na Cidade do México. Ou seja, experiência não falta ao embaixador que em breve estará assumindo o Consulado Geral de Washington.

Aliás, a criação de um consulado próprio na capital dos Estados Unidos demonstra a forte presença dos brasileiros no país, conforme explica o diplomata: “Antigamente, havia uma seção dentro da própria Embaixada do Brasil em Washington para atender aos brasileiros que moravam na região. No entanto, o movimento aumentou tanto que exigiu um consulado próprio. Sem dúvida, porque este consulado responde por uma área bastante abrangente que compreende a própria área do Distrito Federal e os estados de Virgínia, West Virgínia, Ohio, Kentucky e Delaware que antes pertencia à jurisdição do Consulado Geral do Brasil em Nova York.

Balanço do período em que esteve em Miami

Durante estes três anos e meio o programa do qual Araújo Castro mais se orgulha é o do consulado itinerante. “Em 2010, realizamos 36 consulados itinerantes. E este ano devemos repetir este número. Interessante é que montamos consulados itinerantes em locais onde pensávamos que não haveria tanta procura e ficamos surpresos com a procura e a receptividade dos brasileiros”, comenta o cônsul.
Além dos rotineiros consulados itinerantes realizados em Broward e em Boca Raton, introduzidos na gestão de João Almino, ele cita alguns ocorridos em Jacksonville e em Porto Rico como bons exemplos da utilidade deste tipo de ação para atender aos brasileiros que vivem nas mais diversas regiões dos EUA: “Em Jacksonville, ficamos surpresos com a quantidade de brasileiros que moram lá e mesmo no sul da Geórgia, que preferiam ir para lá do que para Atlanta onde temos um consulado. Em Porto Rico, há um perfil diferente de brasileiros. São executivos e técnicos de empresas multinacionais com sede em San Juan e também uma comunidade acadêmica bastante representativa”. A jurisdição do Consulado Geral da Flórida abrange todo o estado da Flórida, Porto Rico e Ilhas Virgens.

Araújo Castro faz questão de frisar que o sucesso dos consulados itinerantes, bem como os dos outros programas, só foi possível graças ao empenho e à dedicação da equipe que trabalha no Consulado Geral de Miami. “Sempre digo que dei sorte de ter encontrado um pessoal competente e bem disposto para trabalhar. O ápice foi alcançado durante as eleições presidenciais em 2010 na qual todos trabalharam como voluntários. E também gostaria de agradecer a algumas pessoas da comunidade que atuaram como mesários durante as eleições contribuindo para que tudo corresse bem aqui em Miami”.

Outros programas introduzidos durante o período administrativo de Araújo Castro são os de prestação de serviços para brasileiros que vivem aqui e não podem viajar para o Brasil: um é o de retirada de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), outro é o de justificativa para prestação de serviço militar.

Matrícula consular

E há ainda a matrícula consular, considerada a menina dos olhos desta administração e também da anterior. João Almino, atualmente no Consulado Geral do Brasil em Chicago, a exemplo de Araújo Castro, também serviu no México e ambos sabem a importância de se ter uma identificação para as pessoas indocumentadas: “Emitimos cerca de três mil destas carteiras. Elas servem como um documento que pode ou não ser aceito por órgãos ou empresas dos Estados Unidos. no Texas, por exemplo, as pessoas estão abrindo contas bancárias apenas apresentando a matrícula consular”.

Este documento segue o modelo já implantado pelos consulados mexicanos que atuam nos EUA. Em função da enorme quantidade de mexicanos que moram aqui com uma grande porcentagem de indocumentados -, a matrícula consular serve como um documento de referência para seus portadores.”

Sobre o movimento no Consulado Geral do Brasil em Miami, o cônsul notou mudanças no comportamento da comunidade. Ele diz que quando chegou aqui, em 2008, constatou que muita gente retornou ao Brasil atraída pela pujança do país. Depois, esta tendência diminuiu para voltar a crescer novamente agora. Informalmente, o número de brasileiros na Flórida era estimado entre 250 e 300 mil pessoas quando assumi o posto. Hoje, o Censo de 2010, realizado nos EUA, indica que somos 150 mil brasileiros na Flórida”, constata. Muitos analistas consideram este número subestimado por acreditar que uma parte dos indocumentados não respondeu ao questionário do Censo por temor de ser identificado pelas autoridades de imigração dos EUA.

Turismo e comércio

O Consulado Geral do Brasil tem apoiado também algumas iniciativas culturais, como o Festival de Cinema Brasileiro de Miami, por exemplo.

Entretanto, Araújo Castro realça mesmo é o forte crescimento do Setor Comercial do consulado: “Temos recebido muitas consultas de empresas americanas e brasileiras interessadas em importar ou exportar de um país para outro. Fornecemos informações sobre normas e regulamentações financeiras e outros dados de interesse. O intercâmbio comercial entre Flórida e Brasil é enorme, tanto que o governador do estado está chefiando uma delegação comercial para lá em outubro”.

A forte presença dos brasileiros aqui na Flórida não deve mesmo ter passado despercebida para o governador Rick Scott. Afinal, em 2010, os cerca de 500 mil brasileiros que visitaram o estado gastaram US$ 1.1 bilhão, transformando o Brasil no país com maior número de turistas e o que mais consome per capita. Não é à toa que os departamentos de Turismo e de Comércio dos EUA querem derrubar a exigência de concessão de vistos para os turistas brasileiros. “Se isto vier a ocorrer, a recíproca é automática, porque é a lei”, explica o cônsul, referindo-se à cobrança de uma taxa dos cidadãos americanos para entrarem no Brasil.

Claro que isto provocaria uma pequena hemorragia no faturamento do consulado. Segundo o embaixador, os consulados são mantidos com as verbas enviadas pelo Itamaraty. Entretanto, tudo que é arrecadado em território estrangeiro preciesa ser remetido para Brasília.
Aliás, é da capital federal que vem o novo cônsul geral do Brasil em Miami. Helio Vitor Ramos, baiano de Salvador, que atualmente chefia o Departamento de Comunicações e Documentação do Itamaraty.

E Brasília sediará também o próximo encontro do CRBE (Comunidades de Brasileiros no Exterior) em outubro, quando serão debatidos temas que importam para a diáspora brasileira. Embora considere um avanço a criação do CRBE, Araújo Castro acredita que a entidade precisa definir sua área de atuação: “É preciso saber como se relacionar com as próprias comunidades, com o governo brasileiro e com os consulados”.

Está aí o grande desafio do Brasileiros no Mundo: determinar uma linha de ação e promover o intercâmbio de ideias que possam beneficiar todos os que moram fora em vez de perder tempo em discutir questões menores tais como lugar em voos e mensagens cristãs.

Ser um agente de serviço para os brasileiros é a função dos consulados. Por isto, vale a pena acessar a página web do Consulado Geral do Brasil para verificar as informações sobre como retirar o FGTS no exterior, justificar o serviço militar, tirar passaporte e matrícula consular e título de eleitor. O endereço do website é www.brazilmiami.org.

Serviços do Consulado

Confira abaixo alguns dos serviços prestados pelo Consulado Geral do Brasil em Miami. Mas, atenção, antes de ir ao consulado, convém checar o website www.brazilmiami.org, porque a maioria dos assuntos pode ser resolvida online. Se ainda pairar alguma dúvida, ligue para o telefone (305) 285-6200.

Documentos brasileiros
Atestado de Vida
Atestado de Vida pelo Correio
Autorização de Retorno ao Brasil
Carteira de Matrícula Consular
Certidão de Casamento (Registro)
Certidão de Nascimento (Registro)
CPF – Cadastro de Pessoa Física
Passaporte
Procuração Pública e Particular
Serviço Militar
Legalização de documentos
Autorização para levar animais
Autorização de viagem para menor
Certidão de Óbito
Cópia autenticada
Declaração de Residência
Diploma e Histórico Escolar
Declaração a Termo
Documentos em Geral
Homologação de Divórcio