Especial: Português, o novo idioma de Miami

0
612

Aeroporto Internacional de Miami investe forte na melhoria do atendimento aos brasileiros

Por Tonia Elizabeth (Especial para o AcheiUSA)

Não sou cartomante, mas creio que posso adivinhar o futuro. Vejo num futuro breve muitas empresas da Flórida oferecendo publicações, informações, anúncios em pelo menos três idiomas e o terceiro não é o créole. É isso mesmo: inglês, espanhol e português. Mas não sou a única vidente no mercado. Há muitos outros com a bola de cristal ligada na frequência brasileira.

O diretor do Aeroporto Internacional de Miami é um deles. “Vidente”e visionário, o diretor José Abreu já previa que o Brasil despontaria no horizonte como nova potência comercial há muito tempo. Há mais de um ano, ele oferece aulas de português a seus funcionários e tem dedicado especial atenção aos passageiros brasileiros e ao movimento de carga com o Brasil. “Fizemos parceria com Guarulhos há cerca de quatro anos. Ajudamo-nos mutuamente, especialmente na área de carga. Eu os visitei e fiquei impressionado com a automatização do sistema deles. Tornamo-nos sister airports, o que significa uma ajuda mútua entre os dois aeroportos. O Aeroporto de Miami tem reputação internacional no setor de carga. Somos um dos melhores do mundo. A parceria foi natural”, diz Abreu.

Nunca tantas empresas buscaram aprender um pouco deste idioma, de bancos e financeiras a companhias de cartões de crédito até empresas de turismo e cruzeiros, trading companies (importadoras e exportadoras), transportadoras e até universidades. Mas por quê? Vejamos algumas das razões do Aeroporto Internacional de Miami.

Segundo estatísticas comprovadas pelo Departamento de Aviação de Miami, estas podem ser algumas das razões:

O número de passageiros entre Brasil e Miami em 2010 chegou a 1.284.250, representando um aumento de 16,9% com relação ao ano anterior;

Em 2009, o Brasil ocupou a primeira posição no mercado de passageiros internacionais do Aeroporto de Miami. Esta posição se manteve em 2010 e deve ter o mesmo desempenho este ano também;

O número de passageiros entre Brasil e Estados Unidos em Miami representa 37 por cento do tráfego do Aeroporto Internacional de Miami;
Somente contando os voos diretos para o Brasil, duas companhias aéreas oferecem serviço para sete cidades brasileiras , com 77 voos semanais regulares;

Outras companhias aéreas oferecem voos ao Brasil, mas com escalas em outras cidades, como a Continental, LAN e Delta.

O setor de carga entre os dois países tem extrema relevância:

O volume de carga entre o Brasil e o Aeroporto de Miami em 2010 ultrapassou as 134.000 toneladas. Um aumento de 36 por cento em relação a 2009;

O valor declarado dessa carga foi de 11,1 bilhões de dólares, o que representa um aumento de 38% em relação ao ano anterior.
Esses números referem-se apenas à carga destinada a Miami ou a cidades do Brasil diretamente; não estamos mencionando o altíssimo número de carregamentos em trânsito de outras regiões do mundo e o Brasil, que passam por Miami.

De acordo com José Abreu, entre 2009 e 2010, a carga para o Brasil aumentou 110 por cento. Segundo ele, o sotaque de Miami está mudando. “Sabia que isso iria acontecer. Gostaria de poder fazer a previsão dos números da loteria como pude fazer com o movimento de passageiros e carga com o Brasil. Em todos os lugares que ia, notava que o sotaque estava mudando. Via brasileiros por todos os lugares, do Shopping Center Sawgrass até as Ilhas Caimã, sem falar nas diferentes áreas do nosso aeroporto. Então decidi dar uma atenção especial a esses clientes. Quero que se sintam em casa. Por isso, desenvolvemos programas para tratar esses passageiros e os clientes de carga de forma personalizada”, declara o diretor do Aeroporto.

Abreu observa que, nos últimos tempos, a American Airlines têm sido mais agressiva com relação aos itinerários para o Brasil, com vários voos diários para diferentes cidades brasileiras o que também comprova suas previsões

Ele garante que o Aeroporto de Miami tem muito a oferecer aos brasileiros. Está até pensando num treinamento específico em português e espanhol para os funcionários do setor de atendimento ao cliente e de informações do aeroporto.

Ele afirma também que o Aeroporto de Miami é o trampolim entre várias regiões e a América Latina e que está preparado para atender à crescente demanda do mercado brasileiro.

Mas não só de números que vive o Aeroporto Internacional de Miami. A administração do Aeroporto, especialmente seu diretor José Abreu, tem uma preocupação em atender bem esse público seja passageiros ou clientes de carga e homenagear a cultura desse parceiro tão importante.

Os murais do artista plástico Carybé, que adotou o Brasil como sua pátria, revelam essa iniciativa. Os uniformes do aeroporto têm detalhes criados pelo artista plástico brasileiro Romero Britto, que já virou marca registrada de Miami, com seus trabalhos espalhados por toda a cidade. A construtora brasileira Odebrecht é a maior responsável pela construção das novas áreas do Aeroporto de Miami. E, recentemente, houve um reforço da lingua portuguesa no MIA, com a estréia dos nossos companheiros portugueses da TAP no referido aeroporto.

Você ainda tem dúvidas quanto às nossas previsões?


Tonia Elizabeth é jornalista e também locutora. Atuou como produtora de companhias de publicidade e canais de televisão a cabo e satélite. Foi hostess do programa Entertainment Tonight por dois anos, na versão brasileira. É também cantora de Brazilian Jazz e gravou e fez shows com artistas consagrados.