Estudantes pedem a Obama que suspenda deportações com ordem executiva

0
387

Eles acham que o momento é este para diferenciar os dois candidatos que lutam pela Presidência da República

DA REDAÇÃO, COM THE ASSOCIATED PRESS – Uma das duas asscoiações nacionais de estudantes que vivem no país na condição de imigrantes irregulares pediu ao presidente Barack Obama que baixe uma ordem executiva para deter as deportações de jovens que atendem às exigências da iniciativa DREAM Act.

A Aliança Nacional de Jovens Imigrantes (NIYA, na sigla em inglês) decidiu pressionar o mandatário com o o objetivo de suspender as deportações, uma vez que o critério do governo não está funcionando, disse nesta segunda-feira (4) Mohammad Abdollahi, porta-voz da rede.

Atualmente, a NIYA disputa mais de 30 casos de deportações que têm as características de serem beneficiados pelo critério do governo, afirmou o ativista. Destes, três podem ser deportados esta semana, acrescentou.

“O critério do governo não está funcionando”, destacou Abdollahi durante uma entrevista para The Associated Press. “Outras medidas para deter as deportações tampouco têm funcionado. O único que resta é o presidente assinar uma ordem executiva”.

No ano passado, o governo Obama anunciou que revisaria cerca de 300.000 casos de deportação. Para isto se levaria em conta, entre outras coisas, se o potencial deportado não tem antecedentes criminais violentos, se tem parentes que são cidadãos americanos ou laços que lhe prendem à comunidade na qual vive.

No entanto, ativistas pró-imigrantes estão se queixando desta revisão, pois alegam que as autoridades de imigração apenas identificaram 7,5% dos casos de deportação a nível nacional como válidos para ser considerados. Mas, segundo o Gabinete de Imigração e Controle de Alfândega, este número se traduz em 16.544 casos do total de 219.554 revisados até maio.

A exigência de uma ordem executiva ocorre depois da escolha de Mitt Romney como virtual candidato presidencial pelo Partido Republicano, o que esclareceu o panorama político, comentou o porta-voz.

Obama tem dito ser a favor do DREAM Act, uma iniciativa que permitiria regularizar o status imigratório de certos estudantes e imigrantes que estejam alistados nas forças armadas. Entretanto, é criticado porque durante seu governo deportou-se um recorde de 400.000 imigrantes em um ano.

“Não podemos ter um presidente que deportou tanta gente. Obama deve assinar uma ordem executiva para diferenciar-se de Romney porque, francamente, nós não vemos nenhuma diferença entre eles neste momento”.

A NIYA é uma rede nacional independente de jovens que se beneficiariam com a aprovação do DREAM Act a nível federal. Tem membros no Alabama, Califórnia, Colorado, Distrito de Columbia, Flórida, Geórgia, Havaí, Illinois, Kentucky, Luisiana, Michigan, Nova York, Carolina do Norte, Ohio, Oregon, Pensilvânia, Virgínia e Washington, de acordo com seu website.

A outra rede nacional de jovens que se qualificam para o DREAM Act é a Coalizão Sonhamos Unidos, que começou a pedir uma ordem executiva no final de 2011, afirmou Carlos Amador, um dos líderes da organização.