Estudo mostra que câmeras em sinais reduziram acidentes fatais

0
670

Queda em número de mortes no trânsito caiu 24% em 14 cidades dos EUA

Apesar da polêmica em torno da cobrança de multas decorrentes de infrações registradas por câmeras nos sinais de trânsito, a iniciativa reduziu o número de acidentes. Uma pesquisa atestou que o índice de mortes em cruzamentos monitorados pelo equipamento caiu em mais de 24% em 14 cidades americanas. “O sistema está funcionando. Centenas de pessoas estão vivas hoje graças à coragem de algumas prefeituras que adotaram o método”, confirmou Adrian Lund, presidente de um instituto para segurança no trânsito, que encomendou o estudo.
Os cálculos mostram que pelo menos 159 vidas foram salvas graças à medida, chamada aqui de ‘Red light cameras enforcement’. Segundo os especialistas, os motoristas passaram a prestar mais atenção nos cruzamentos, pois a infração passou a doer no bolso: a multa por avanço do sinal vermelho detectado pelas câmeras custa, aqui no sul da Flórida, até 159 dólares. O instituto ressalta que se o sistema fosse usado em todas as grandes cidades do país outras 815 vidas poderiam ser salvas nos últimos cinco anos.
Estatísticas de 2009 mostram que 676 pessoas morreram em acidentes causados por avanço de sinal vermelho nos Estados Unidos e pelo menos outras 113 mil ficaram feridas. Lund é um incentivador das câmeras nos cruzamentos e acha que essa é uma alternativa interessante para as cidades que estão sem verba para contratar mais policiais ou mesmo promover campanhas de educação de trânsito para a comunidade.
No entanto, o ponto de vista dele não é compartilhado por todos. Gary Biller, por exemplo, é diretor da Associação Nacional de Motoristas e argumenta que as câmeras em cruzamentos não reduzem o número de acidentes fatais e ainda aumentam o número de batidas na traseira. Além do mais, ele diz que o preço das multas é muito alto e sua cobrança, inconstitucional.
Este também foi o foco da polêmica aqui na nossa região, nos últimos dois anos. A medida começou a ser colocada em prática em 2008 em Pembroke Pines e Aventura e foi logo copiada em outras cidades de Broward e Miami-Dade. A cobrança das multas gerou uma infinidade de ações na justiça, tendo como referência a legislação da Flórida que determina que as leis de trânsito devem ser uniformes em todo o estado. Segundo os advogados, a utilização das câmeras para detectar o avanço de sinais vermelhos por iniciativa de cada cidade viola tal princípio.