Histórico

EUA anunciam captura de importante membro da Al Qaeda

O Pentágono anunciou nesta sexta-feira a captura de Abd al Hadi al Iraqi, descrito como um “membro de alto escalão da `rede terrorista` Al Qaeda”, que foi transferido para o campo de prisioneiros na Baía de Guantánamo (Cuba).

Segundo informações oficiais, o detido estaria envolvido em uma tentativa de assassinato do presidente do Paquistão, Pervez Musharraf.

O comunicado do Pentágono indicou que, antes de ser transferido para Guantánamo, Hadi “esteve sob custódia da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês)”.

Hadi “era um dos membros de mais alto nível e mais experiência da Al Qaeda no momento de sua detenção” e estava associado a dirigentes de grupos extremistas aliados da Al Qaeda no Afeganistão e no Paquistão, inclusive o Taleban `grupo extremista islâmico deposto por uma coalizão liderada pelos EUA no final de 2001, que controlava mais de 90% do Afeganistão`, afirmou o Pentágono.

Não há informações sobre a data ou as circunstâncias da captura, mas o Pentágono informou que Hadi foi detido quando tentava entrar no Iraque para planejar ataques contra alvos americanos.

Guantánamo

O órgão também informou que, como resultado da transferência de Hadi, agora existem 385 homens presos na base naval americana de Guantánamo, onde os EUA mantêm, desde o início de 2002, centenas de homens capturados em várias partes do mundo sem direito a assistência judicial.

Segundo Bryan Whitman, porta-voz do Pentágono, acredita-se que Hadi é responsável pelo planejamento de ataques contra as forças dos Estados Unidos no Afeganistão a partir do Paquistão, e que liderou uma tentativa de assassinato do presidente Musharraf.

Abd al Hadi tentava voltar ao seu país de origem, o Iraque, “para conduzir os assuntos da Al Qaeda e possivelmente dirigir operações fora do Iraque contra alvos ocidentais”, disse Whitman.

O porta-voz acrescentou que o suspeito reuniu-se com membros da Al Qaeda no Irã.

Baixe nosso aplicativo