EUA anunciam fim de embargos políticos e econômicos à ANP

0
623

Rice anuncia fim das restrições após criação de governo sem participação do Hamas

A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, anunciou nesta segunda-feira a suspensão dos embargos político e econômico à Autoridade Nacional Palestina (ANP), presidida por Mahmoud Abbas, impostas pelo governo americano.

Os Estados Unidos retomarão a ajuda direta ao governo palestino, após a formação de um gabinete de emergência palestino sem a presença do grupo islâmico Hamas. “Não vamos abandonar os palestinos vivendo em Gaza”, afirmou a Secretária de Estado.

Segundo Rice, os EUA “retomarão a assistência completa ao governo palestino e os contatos normais de governo com governo”. A Secretária de Estado informou o novo premiê palestino, Salam Fayyad, da decisão por telefone.

Rice disse que a administração pedirá ao Congresso para rever uma requisição prévia de US$ 86 milhões em ajuda. O dinheiro iria para contribuir com as forças de segurança de Abbas, mas agora pode ter outros fins.

Separadamente, ela disse que os EUA vão contribuir com adicionais US$ 40 milhões para à ONU com intenção de colaborar com os palestinos, particularmente na Faixa de Gaza, atualmente controlada pelo Hamas.

“Por estas ações, o Hamas tentou dividir a nação palestina, e nós repudiamos isso”, disse Rice. “Essa é a posição dos EUA de que há uma população palestina e deve haver um Estado palestino”.

O Hamas tomou Gaza na semana passada, após uma série de batalhas com o Fatah. A violência deixou a região totalmente isolada, uma situação que piorou quando uma companhia de combustível cortou entregas na região costeira da Faixa.

Após a ofensiva do Hamas, os EUA já haviam declarado seu apoio ao presidente Abbas, que conversou com o presidente americano, George W. Bush, por telefone nesta segunda sobre uma possível retomada das negociações de paz no Oriente Médio, que se concentrou na situação da Faixa de Gaza.

A decisão ocorre na véspera de uma reunião entre Bush e o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, na qual falarão sobre os mecanismos para fortalecer o novo governo palestino instalado em Ramallah, além de tratarem de ameaças de uma guerra com a Síria, a situação na fronteira com o Líbano e o programa nuclear iraniano.

A posição americana sobre o novo governo é compartilhada pela União Européia e nesta segunda, o alto representante de Política Externa e Segurança Comum do bloco, Javier Solana, disse em Luxemburgo que a ajuda direta da UE à ANP também será retomada.