EUA dominam, mas MBA espanhol é 1º em ranking mundial

0
552

Diplomas de MBAs são procurados por recém-formados

O curso de MBA (sigla em inglês de Master of Business Administration, equivalente a um mestrado em administração de negócios) do Instituto IESE, da espanhola Universidade de Navarra, foi considerado o melhor do mundo em um ranking elaborado pelo centro de pesquisas Economist Intelligence Unit, da Grã-Bretanha.
Os organizadores do ranking com cem cursos, dominado por MBAs de instituições americanas, classificaram de “estelar” o desempenho da universidade espanhola – que possui um curso que começa no Brasil e é concluído na Espanha.

“O setor de colocação profissional é um das principais razões do triunfo do IESE: tem uma taxa de 100% de sucesso na colocação profissional dos estudantes dentro de três meses de graduação, enquanto estudantes em geral recebem salários de seis dígitos”, eles justificaram.

Ranking geral (30 primeiros)
1 – IESE Business School-University of Navarra (Espanha)
2 – Dartmouth College-Tuck School of Business (EUA)
3 – Stanford Graduate School of Business (EUA)
4 – University of Chicago-Graduate School of Business (EUA)
5 – IMD-International Institute for Management Development (Suíça)
6 – Northwestern University-Kellogg School of Management (EUA)
7 – Harvard Business School(EUA)
8 – New York University-Leonard N Stern School of Business (EUA)
9 – University of Michigan-Stephen M Ross School of Business (EUA)
10 – University of California at Berkeley-Haas School of Business (EUA)
11 – University of Cambridge-Judge Business School (Grã-Bretanha)
12 – Columbia Business School (EUA)
13 – Univ. Virginia-Darden Graduate School of Business Administration (EUA)
14 – Henley Management College (Grã-Bretanha)
15 – UCLA-The Anderson School (EUA)
16 – IE-Instituto de Empresa (Espanha)
17 – University of Pennsylvania-Wharton School (EUA)
18 – Massachusetts Institute of Technology-MIT Sloan School of Management (EUA)
19 – Cranfield School of Management (Grã-Bretanha)
20 – London Business School (Reino Unido)
21 – Ashridge (Grã-Bretanha)
22 – INSEAD (França/Cingapura)
23 – Cornell University-Johnson Graduate School of Management (EUA)
24 – Yale School of Management (EUA)
25 – Emory University-Goizueta Business School (EUA)
26 – Vlerick Leuven Gent Management School (Bélgica)
27 – University of Washington Business School (EUA)
28 – Carnegie Mellon University-Tepper School of Business (EUA)
29 – Duke University-Fuqua School of Business (EUA)
30 – York University-Schulich School of Business (Canadá)
Fonte: Economist Intelligence Unit

Mas são as escolas americanas que dominam a lista. Nada menos que 47 dos cursos listados como os melhores do mundo pelo setor de pesquisas da prestigiada revista britânica The Economist são de instituições americanas.

A Tuck School of Business, do Dartmouth College, da cidade de Hanover (Estado americano de New Hampshire) ficou em 2º lugar na lista, seguido pelas Graduate School of Business de Stanford e de Chicago.

Bill Ridgers, editor do guia de MBAs em que o ranking será publicado a partir de 13 de outubro, disse que “apesar de uma escola européia ocupar o topo da lista, apenas algumas escolas podem realmente competir com as melhores dos Estados Unidos”.

“As escolas americanas têm a vantagem quando se trata de história e, em particular, finanças, permitindo-as atrair melhores faculdades e estudantes”, disse.

O 5º lugar foi do suíço International Institute for Management Development.

Critérios

O ranking levou em consideração quatro critérios principais: criação de oportunidades de carreira, de desenvolvimento pessoal e experiência educacional, de aumento de salário e potencial de criação de uma rede de contatos (networking).

As americanas se destacaram no primeiro critério, “porque os serviços de carreira nos Estados Unidos são em geral melhor custeados, organizados e profissionalizados que no resto do mundo”.

O Henley Management College, da Grã-Bretanha – país que teve 22 MBAs listados – se destacou no segundo critério, seguido pela Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong.

Escolas européias se destacam nos dois últimos critérios, por conta das características do mercado de trabalho europeu e do número de estudantes internacionais nos cursos.

Os dados, referentes aos três últimos anos, foram coletados na primvera de 2006 por meio de questionários enviados às escolas e aos alunos. Cerca de 20 mil pessoas responderam às perguntas.

Nenhum MBA de uma instituição brasileira é citado no ranking.