EUA estabelece novas normas para quem chega

0
702

Até residentes permanentes terão que deixar suas impressões digitais

Uma nova norma, que entrará em vigor no dia 18 de janeiro, certamente vai gerar ainda mais transtornos para os imigrantes que entram nos Estados Unidos, mesmo aqueles que possuem green card. O Serviço de Imigração exigirá que todos os estrangeiros tirem impressões digitais e fotos nos 284 pontos de entrada do país por motivos de segurança. A lei, publicada recentemente no U.S. Federal Register, tem o claro objetivo de identificar os residentes permanentes com antecedentes criminais e casos de fraudes para deportação.

A iniciativa faz parte do programa ‘U.S. Visitor and Immigrant Status Indicator Technology’ (US-VISIT), mas a ampliação para incluir detentores de green card tem atraído fortes críticas. “A ideia que os imigrantes que residem nos Estados Unidos há anos estejam sujeitos a tirar impressões digitais e ao recolhimento de outros dados biométricos no retorno aos Estados Unidos está no limiar do absurdo”, disse Charles H. Kuck, presidente da American Immigration Lawyers Association, uma associação nacional de advogados estabelecida para promover leis de imigração mais justas.

Segundo ele, a medida está contrariando um dos princípios fundamentais da sociedade americana, que é a ausência de intervenção por parte do governo sem justificativas plausíveis. Além disso, Kuck destaca que a medida representará um gasto excessivo de verbas públicas e de tempo. “São milhões de pessoas que viajam todos os anos e imagine o dinheiro para processar todas estas informações”, afirmou.
O Departamento de Segurança Interna (DHS), porém, argumenta que a medida é completamente relevante porque possibilita a descoberta de fraudes significativas em documentos da imigração, particularmente em relação aos cartões dos residentes permanentes. Segundo a agência federal, há muitos casos de venda de documentos. “O DHS aumentou substancialmente as características de segurança dos cartões de residentes permanentes nos últimos anos, mas nada é 100% à prova de falsificação”, constava de um comunicado emitido pelo Departamento. O governo americano reafirma que a preocupação maior é com possíveis tentativas de organizações terroristas ou criminosas internacionais obterem a documentação. Até 2006, mais de 1.500 casos de fraudes de green cards foram descobertos pelo governo.

Segundo Armando Olmedo, conselheiro legal do site da Univision, o importante é que pessoas que cometeram algum delito grave (felony) no passado procurem um advogado de imigração antes de deixar os Estados Unidos. “Estes serão afetados pela nova norma, pois ao reingressarem na América, mesmo com o green card, poderão perder seus direitos de residente”, advertiu o especialista. A também advogada Lilia Velázquez, da União Americana de Liberdades Civis, acrescenta que a lista de delitos que podem impedir o reingreso de residentes legais estrangeiros é “extensa” – entre eles, violência doméstica, posse de drogas.