EUA: Rubio quer reforma imigratória rigorosa

0
579

Muitos parlamentares republicanos ainda não estão convencidos

Um acordo bipartidário para obter uma reforma imigratória precisará de um rigoroso cumprimento da lei que inclua sanções mais severas para aqueles que tenham entrado sem permissão nos Estados Unidos, afirmou no domingo (14) um destacado senador republicano que foi peça central nas negociações.

O cubano-americano Marco Rubio, um dos oito senadores que elaboram a iniciativa – que pode estar pronta para amanhã -, colocou seu posicionamento para o marco básico da proposta, que pode conter a opção da cidadania para aqueles que chegaram sem autorização legal ou que excederam seu prazo de permanência como visitantes no país.

Embora o acordo bipartidário contemple um processo longo e difícil para os 11 milhões de indivíduos em questão processem sua naturalização, Rubio insistiu que a proposta não inclui uma “anistia”, tal como sustentam colegas conservadores de Rubio que consideran este ponto um obstáculo intransponível.

“Não concedemos nada para ninguém. O que estamos fazendo é dar às pessoas a oportunidade de que, com o tempo, possam acessar nosso novo sistema legal de imigração, melhorado e modernizado”, disse o senador Rubio, da Flórida.

No entanto, persistem as dúvidas entre os partidários de Rubio.

“Não estou convencido”, disse o senador republicano Jeff Sessions. “Respeito o trabalho realizado pelo grupo dos oito senadores. Mas elaboraram uma proposta que concederá uma anistia agora, que na prática legaliza todos os que estão aqui hoje e depois contém o compromisso de que se cumprirá a lei no futuro”, comentou.

O senador republicano Mike Lee disse que “o caminho para a cidadania, bem agora, antes de todos esses elementos serem esclarecidos, para mim fica difícil forjar um acordo”.

O legislador disse que consideraria apoiar as propostas só se a principal prioridade fosse a segurança da fronteira.

Rubio quer consolidar liderança

Rubio disse que pode retirar-se dos esforços para concretizar a reforma imigratória se houver suavização do cumprimento da lei, da segurança da fronteira e de outros elementos.

De olho numa possível candidatura para a Casa Branca em 2016, Rubio tem sido muito cuidadoso para não parecer fraco em relação à segurança da fronteira e evitar complicações políticas entre os conservadores que têm grande influência na escolha do candidato presidencial do Partido Republicano.

Rubio também assegurou aos imigrantes que talvez fosse mais fácil para eles regressar aos seus países de origem e começar do zero o processo do que aproveitar o processamento que ele propõe.

“Diria que a lei existente é de fato mais indulgente; voltar e esperar 10 anos será mais barato e mais rápido do que passar por todo o processo que estamos apresentando”, garantiu.

Outros legisladores que participam da elaboração da iniciativa reconheceram os desafios políticos que cercam a reforma imigratória.
“Muitos de meus colegas conservadores têm importantes dúvidas e são legítimas”, manifestou o senador republicano John McCain. “Este é o começo de um processo, este é um instrumento que precisa de audiências, colaboração e damos as boas-vindas a tudo isto. Estou cautelosamente otimista de que finalmente haverá um final para este longo trajeto no qual muitos estamos por tantos anos”.

Os benefícios da medida

A medida ofereceria a milhões de pessoas que não contam com documentos imigratórios um mecanismo para processar em 13 anos sua naturalização, enquanto endurecem-se as medidas de segurança na fronteira, obrigaria todos os patrões a verificar o status imigratório de seus trabalhadores e permitiria que milhares de trabalhadores qualificados venham para o país com novos programas de vistos.
Espera-se que o projeto inclua uma nova ênfase numa imigração baseada nos laços familiares.

“Este é um projeto bem balanceado. Os americanos nos pediram duas coisas: uma é evitar futuros fluxos de imigração não autorizada; e a outra é obter uma solução com sentido comum para a imigração ilegal. E isto é o que propõe nosso projeto “, disse o senador Chuck Schumer.

“Se não tem documentos imigratórios agora, se está sem permissão nos Estados Unidos, então nem pode fazer a solicitação até que este plano exista e comece a ser implantado”, acrescentou o senador. “E então terão de pagar uma multa, uma quota para fazer a solicitação e aprovar uma revisão de antecedentes”.

Sem essas peças, o caminho para a cidadania não está disponível e a proposta só será viável para aqueles que chegaram aos Estados Unidos antes de 31 de dezembro de 2011. Qualquer um que chegou depois desta data estará sujeito à deportação.

Rubio apresentou seus argumentos em entrevistas com “This Week”, da rede ABC; “Face the Nation”, da CBS; “State of the Union”, da CNN; “Fox News Sunday” e “Meet the Press”, da NBC. Também esteve nas redes de língua espanhola Telemundo e Univision. Sessions e Schumer estiveram na ABC e McCain na CNN.

A ex-governadora do Alaska, Sarah Palin, disse que os americanos estarão abertos para reformar as leis imigratórias do país, mas que o governo federal deverá assegurar primeiro as fronteiras. A republicana fez as declarações durante uma visita ao estado fronteiriço do Arizona.