Histórico

EUA vão reduzir tropas que atuam no Paquistão

Relação entre os dois países está desgastada desde operação que matou Bin Laden, há quase um mês

Promessa de campanha do presidente Barack Obama, a retirada parcial das tropas americanas do Paquistão está prestes a se concretizar, mas muito em função de pressões do governo daquele país asiático. A relação entre Washington e Islamabad mostrou sinais de desgaste depois da operação que matou o terrorista Osama Bin Laden, conduzida sem aviso prévio às autoridades paquistanesas. Recentemente fomos notificados por escrito de que o Paquistão quer que os Estados Unidos reduzam sua presença por lá. Assim, iniciamos esta retirada, disse o porta-voz do Pentágono, Dave Lapan.

Calcula-se que pelo menos 200 soldados americanos estão no Paquistão, onde ocupam essencialmente postos de instrutores para as tropas paquistanesas que combatem a rede terrorista Al Qaeda e o Taleban. Mas acredita-se que há ainda outros militares ligados aos serviços de inteligência e forças especiais operando no país. A retirada progressiva dos militares daquele país será progressiva e deve ser concluída rapidamente, segundo Lapan.