Família de brasileiro preso há quase um ano por falsa ameaça à TAM aguarda notícias

0
844

Francisco Fernando Cruz está preso desde janeiro, já cumpriu a pena e aguarda para ser deportado

Ana Paula Franco

FACEBOOK
Francisco Fernando Cruz

Francisco Fernando Cruz

A família do brasileiro preso aqui nos Estados Unidos por enviar e-mails à polícia e à TAM Linhas Aéreas com ameaças de bomba em um avião não consegue falar com o jovem há mais de 20 dias.

Francisco Fernando Cruz, de 23 anos, estava preso na Flórida, foi transferido para uma prisão na Geórgia, saiu do presídio e agora está detido no centro do ICE (U.S. Immigration and Customs Enforcement) na Geórgia. O jovem aguarda ordem judicial para que seja deportado para o Brasil. Desde que foi transferido, ele nunca mais ligou para a família.

A mãe do jovem, Cláudia Cruz, que mora em Sorocaba (SP), conversou com o AcheiUSA por telefone, e disse estar desesperada por falta de informações e notícias do filho. “Desde que ele foi preso em janeiro, ele ligava para cá, por meio do Consulado, sempre que possível para falar que está bem, que está tudo certo. Desde que foi transferido para Geórgia, ele nunca mais ligou e eu não consigo obter informações precisas. Estou desesperada”, disse, às lágrimas, Cláudia Cruz.

A mãe de Francisco afirma que vive um calvário desde a prisão do filho em janeiro. “Estou cumprindo prisão com meu filho. Ele cometeu um erro e está pagando muito caro por ele. Ele sempre foi um menino estudioso, nunca se envolveu com a polícia, nem em brigas. Sei que a agonia está chegando ao final, mas preciso falar com ele, que alguém o visite para eu ter certeza que está tudo bem”, disse Cláudia.

Francisco já foi julgado, condenado há um ano e um dia de prisão e ganhou o benefício de redução de pena por bom comportamento. Ele foi preso em janeiro e a família esperava que ele fosse liberado no dia 23 de novembro.

A advogada da família, Patrícia Del Mastro, também não conseguiu ter acesso à data exata da deportação de Francisco. “Já entramos em contato com o Consulado-Geral do Brasil em Atlanta, com o ICE e com o Itamaraty, mas não há uma data precisa. Sabemos que será em breve, mas a família precisa de uma data, eles estão desesperados”, disse.

De acordo com informações do Itamaraty em Brasília, o ICE informou que no prazo de sete a dez dias após ser transferido para o centro de detenção da imigração, o brasileiro estará diante do juiz que determinará a data da deportação. Assim que o juiz determinar a deportação, o Consulado-Geral do Brasil em Atlanta irá emitir a Autorização de Retorno ao Brasil (ARB) para Francisco Cruz que está com o passaporte vencido. Ainda segundo o Itamaraty, como Cruz não tem pendências no Brasil, chegando no país estará livre para voltar para a família. O Itamaraty não informou, porém, nenhuma data precisa sobre a chegada de Francisco ao Brasil, já que depende do órgão de imigração.

Entenda o caso
De acordo com informações do site G1 e TV Tem de Sorocaba, o brasileiro foi preso no dia 9 de janeiro em Miami, nos Estados Unidos. A polícia americana publicou a queixa em seu site informando que Francisco, que morava nos EUA havia dois anos, tinha enviado no dia 8 um e-mail ao Departamento de Polícia de Miami (MDPD) e à TAM Linhas Aéreas alertando sobre a existência de uma bomba em um avião da empresa.

A mensagem informava: “Flight must not take off. Targeted. It will go down. Retaliation. Cargo is dangerous. Be advised” (Voo não deve decolar. Marcado. Vai cair. Retaliação. Carga é perigosa. Estejam avisados). Segundo a polícia americana, o Departamento de Polícia de Miami rastreou a origem da mensagem e concluiu que ela foi enviada de um computador na Montclair State University, na cidade de Montclair, estado de New Jersey.

Na época, a assessoria da TAM Linhas Aéreas afirmou que foi notificada pelas autoridades do EUA sobre a suposta presença de bombas a bordo de uma de suas aeronaves. “Para garantir a segurança dos clientes e da tripulação, a companhia, como já fez em outras circunstâncias de alarme falso, reforçou a inspeção de todas as cargas despachadas, assim como aos passageiros”, diz a nota. Ainda segundo a TAM, após investigações, foi confirmada que a ameaça era falsa. “Nenhum risco foi detectado à segurança do voo JJ8043. A aeronave decolou normalmente, no horário previsto”, completa a nota.