Família de criança brasileira sem rosto está no Texas para cirurgia

0
714

Ronaldo Marchioli conseguiu trazer a filha de quatro anos para duas cirurgias em hospital especializado. Família agora precisa de ajuda para manter-se nos EUA

Joselina Reis

Aos quatro anos, a menina brasileira Vitoria da Silva Marchiori já passou por várias cirurgias e agora espera mais duas na tentativa de construir algo parecido com um rosto. Conhecida no Espírito Santo e Minas Gerais como “a menina sem rosto”, Vitoria nasceu com má formação crânio-facial e sua sobrevivência tem mantido a família unida e os médicos curiosos. “Deram a ela apenas uma hora de vida quando nasceu e mandaram encomendar o caixão”, lembra o pai, o ex-motorista Ronaldo Marchiori.

Desde o dia 20 de janeiro, Vitoria está no Texas, acompanhada pelo pai e a mãe aguardando duas cirurgias. Os médicos americanos de um hospital especializado em queimados vão tentar construir seu rosto. Ela nasceu sem um olho, sem o céu da boca e sem nariz. No lugar desses apenas um buraco que vem sendo aos poucos fechado com ajuda de cirurgias no Espírito Santo, Minas Gerais e agora Estados Unidos. No entanto, a família está ciente de que Vitoria vai precisar de muito mais para chegar próxima a ter uma vida normal.

A família, que não tem condições financeiras para viagem aos Estados Unidos, e muito menos para bancar cirurgias desse porte em um hospital americano, tem vivido com ajuda de doações, principalmente de amigos, igrejas e até de desconhecidos. “Tem sido assim desde que ela nasceu. Um ajuda aqui e depois fala com outro que ajuda dali e de repente as coisas acontecem e surge alguém do nada com mais um pouco”, resume o pai o dilema da família desde que a pequena nasceu.

Ronaldo e Jocilene, a mãe, têm outras duas meninas, que nasceram sem problemas. Durante a gravidez da caçula Vitória, a mãe ficou sabendo através de um ultrasom que a filha teria graves problemas, mas mesmo assim decidiu continuar a gestação. Os médicos aconselhavam o aborto, mas por questões religiosas a família se negou. “Se Deus deu ela assim é porque era para a gente cuidar”, conta o pai.

Sem ter recursos para bancar uma enfermeira — Vitoria precisa de ajuda especial durante as 24 horas do dia –, o pai largou o emprego. A mãe, que possuía mais tempo de empresa e melhor salário, continuou na profissão de secretária. Desde então, a família tem pedido ajuda, e a última veio de uma pessoa que eles ainda não conhecem pessoalmente. Integrantes da Maçonaria no Brasil se comoveram com o caso e contataram outros integrantes no Texas que ajudaram a família com o visto e trouxeram Vitória para as cirurgias.

No Texas, a família esta vivendo temporariamente em um alojamento da ONG Ronald MacDonald, onde pagam $80 por semana, e mais as despesas pessoais com comida. Depois de trinta dias, pelas normas, eles precisam sair e podem voltar só após 48h. Como a condição financeira da família é precária, Ronaldo vai continuar com a filha no Texas até a segunda operação em abril, e a mãe vai voltar para o Brasil.

Quem quiser ajudar a família pode entrar em contato com a mãe, pelo email jomarchioli@hotmail.com. Ronaldo e Jocilene também abriram uma conta bancária no Bank of America: número 586.031.021.585