FAO prevê produção mundial de alimentos recorde em 2011

0
450

Os mercados de commodities agrícolas devem permanecer ajustados, com preços elevados e voláteis, apesar da melhora na oferta e o enfraquecimento da demanda, confirmou a agência das Nações Unidas para alimentação, que elevou suas estimativas da produção mundial de grãos este ano.

Nos últimos meses, os preços globais dos alimentos caíram, ajudados pela melhora das safras, mas continuam elevados e sujeitos a oscilações em meio à instabilidade dos mercados financeiros e de capitais, apontou a Organização para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO).

Apesar das perspectivas de melhoria do abastecimento e enfraquecimento da demanda, as condições do mercado de commodities agrícolas permanecem bastante apertadas, o principal fator que sustenta os preços, e o quadro geral ainda aponta para os mercados firmes em 2012, disse a FAO.

Deixar os mercados internacionais continuarem em seu estado atual, volátil e imprevisível, só vai agravar uma perspectiva já sombria para a segurança alimentar mundial, revelou o organismo internacional. Os preços mundiais de alimentos, medidos pela FAO, atingiram sua marca mais baixa em 11 meses em outubro, devido a quedas acentuadas em grãos, açúcar e outras commodities agrícolas.
A produção de cereais do mundo deverá crescer 3,7%, para um recorde de 2,325 bilhões de toneladas neste ano, impulsionada por um salto de 6% na safra de trigo, previu a agência.

A FAO também elevou sua projeção sobre a produção de grãos, incluindo a de milho, fez uma previsão de safra recorde para o arroz e elevou sua estimativa de estoques globais de grãos no final da temporada 2011/12, para 506,6 milhões de toneladas, um aumento de 3,3% ante a temporada anterior.

Os custos globais com importação de alimentos devem subir para US$ 1,3 trilhão em 2011, com o custo de compra de alimentos para os países menos desenvolvidos subindo por mais de um terço sobre 2010, apontou o levantamento da FAO.