Festival de cinema brasileiro de Miami exibirá mais de 30 filmes

0
747

Mostra chega a 12ª edição e promete agradar a todo tipo de público

Dramas, comédias, documentários, curtas-metragens. O público que comparecer às salas de projeção do Brazilian Film Festival de Miami terá a oportunidade de conferir as principais produções cinematográficas brasileiras dos últimos meses, muitas delas exibidas pela primeira vez em telas americanas.

A mostra começa no dia 31 de maio e vai até 6 de junho, em três pontos em South Beach: o Colony Theatre (na Lincoln Road), o Cinematheque (Española Way) e o Wolfsonian Museum (Washington Avenue). Antes disso, no dia 30 de maio, na abertura oficial do evento, ocorre a tradicional exibição ao ar livre no North Beach Bandshell (Collins Avenue), com os filmes vencedores na escolha popular em 2007 – ‘Polaróides Urbanas’ e ‘Galinha ao Molho Pardo’. A entrega das Lentes de Cristal aos ganhadores deste ano está marcada para 7 de junho, no encerramento do festival, no Lincoln Theater.

O jornal AcheiUSA, que em maio vai sortear ingressos para as sessões, divulga, a partir da próxima edição, algumas informações sobre os filmes que estão concorrendo na mostra competitiva, categoria longa-metragem. Os primeiros serão o trabalho de estréia na ficção da diretora Sandra Kogut, ‘Mutum’, e o já premiado ‘A Via Láctea’, que participou do Festival de Cannes (França) e faturou o prêmio Casa de América, na Espanha.

Artigo

Títulos de filmes e confusões

Paul Constantinides 
 
Por fatores que nem sei bem dizer quais ao certo, sempre que traduzem no Brasil um título de um filme norte-americano para o português, ao invés de o fazerem literalmente, optam por adaptações que  mais confundem do que ajudam.  Normalmente este processo, que, supõe-se, seria a tradução literal do título do inglês para o português, passa por algo que chega próximo à interpretação absurda do filme.
Por exemplo, um filme de 1994 chamado Swimming With Sharks, no Brasil deveria ser algo próximo a  Nadando com Tubarões: em vez disso, colocaramo o nome de O preço da Ambição. Outro filme , o  “Sleepless in Seatle”, no Brasil chamaram de “Sinfonia do Amor”,  o filme “The Money Pit”, ficou “Um Dia a Casa Cai”. E ainda, o filme “Regardin Henry” se tornou “ Uma Segunda Chance”.
 Este fato, para nós que moramos nos Estados Unidos,  às vezes  faz com que se torne difícil falar com pessoas no Brasil sobre os filmes que passam aqui e que estejam passando lá. Seja pelo telefone ou por um chat na net, pode virar um trecho de peça tragicômica. Segue abaixo um papo telefônico entre dois amigos, um em São Paulo e outro que vive aqui desde 1985.
Depois de conversarem sobre a vida, trabalho, família e esporte, o que vive no Brasil pergunta ao amigo que vive nos Estados Unidos:

– Ah, aqui em SP acabaram de lançar o “Quebrando a Banca” você sabe se o filme é bom?
– “Quebrando a Banca”? Hum… – pensa o brasileiro nos EUA, traduzindo mentalmente ‘Breaking the bank’… ou ‘Bursting the bank’.
– Você assistiu? – Insiste o amigo de SP.
–  Não me recordo de nenhum filme aqui chamado “Bursting the Bank” ou algo similar. Você sabe quem trabalha no filme?
– Ah! Sim! Tem uma garotada nova, mas o ator mais velho é o cara que ganhou o Oscar.
– Ah!Legal! E qual é o nome dele?
– Pois é, eu conheço o ator, mas não me lembro do nome dele.
– Poxa! Que filme ele já fez antes? Qual é o nome do filme em que ele trabalhou e ganhou o Oscar?
– Ah, calma aí amigo!!! Eu não sou enciclopédia de cinema! Deixa eu ver.
– Fica à vontade.
– Ah! Tem um antigo que vi outro dia na TV, ele trabalhou fazendo papel de patrão no “Uma Secretária de Futuro”.
– “Secretária de Futuro”? Puxa em inglês seria  “Secretary with Future”. Não conheço filme algum com este nome.
– Poxa, amigo! “Secretária de Futuro”! Filme super-popular dos anos 80. Com aquela atriz bonitona que casou com um ator espanhol.
– Casou no filme ou na vida real?
– Na vida real, claro! E aí, sabe quem é o ator?
– Ah! Eu não conheço bem atores espanhóis.
–  Que atores espanhóis?
– Este aí, o ator que casou com a atriz bonitona.
– Não!!!  Eu estou pergutando sobre o  ator do filme “Quebrando a Banca”
– Pôxa, cara, você está me confundindo! Por acaso não é o Tom Hanks?
– Não, o Tom Hanks está com um filme aqui que parece chato, concorreu ao Oscar e tudo mais, “Jogos de Poder”.
– “ Jogos de Poder”?
– É!!!
– O últimofilme dele aqui foi “Charlie’s War”, sobre a vida de um senador. Em portuguêsseria “A guerra de Charles”.
– Meu inglês é ruim, mas esta eu sabia.
– É, mas será que são o mesmo filme? “Jogos doPoder” e “Charlie’s War”?
– Eu não sei! E nem quero saber!!
– Poxa!
– Só me diga uma coisa: o “Quebrando a banca” é bom ou não? Você já assistiu?
– E sobre o que é o filme? Você chegou a ver o trailler?
– Sim! É sobre uns caras que estão com dívidas e aprendem com um professor a lerem cartas para jogarem o 21.
– 21!
– É 21, aquele jogo.
– Isto 21!
– Sim, eu sei, 21 o jogo de cartas.
– Não!!
– Como não, claro que é.
– Não!!
– Claro que sim!
– Não cara,estou querendo dizer, me desculpe, “21” é o nome do filme “Quebrando a Banca” aqui nos Estados Unidos.
– Puxa! Os americanos gostam de complicar.
– Os americanos?
– É!
– Bem, pelo menos agora eu sei de que ator você estava falando. É o Kevin Spacey e ele trabalhou num filme dos anos 80 que se chamou aqui, “Working Girl” que deve ser o “Secretária de Futuro” aí.
– Que confusão!
– Pois é!
– Acho que vou começar a assistir mais a filmes nacionais.