Histórico

Flamengo conquista um título nacional após 13 anos

Depois de ter chegado a três finais da Copa do Brasil, o Rubro-Negro carioca finalmente ganha o campeonato e conquista vaga na Copa Libertadores da América de 2007

O Flamengo garantiu nesta quarta-feira (26) o título da Copa do Brasil ao bater o rival Vasco por 1 a 0, gol de Juan, e quebrou um jejum de 13 anos sem levantar um troféu em âmbito nacional – a última vez tinha sido na conquista do Campeonato Brasileiro de 1992. O time chegou a ser campeão da Copa dos Campeões em 2001, mas a competição só teve três edições.

Campeão também em 1990, essa foi a segunda vez que o Rubro-Negro faturou a Copa do Brasil. O título garante ao clube da Gávea uma vaga na Taça Libertadores de 2007, além de um prêmio de R$ 1,2 milhão. Já o Vasco, que embolsou R$ 600 mil, segue sem o troféu da Copa do Brasil em sua galeria.

Pela primeira vez na história da competição, que começou a ser disputada em 1989, dois times do mesmo Estado foram à decisão. E pela primeira vez na história, Flamengo e Vasco disputaram um título nacional.

O Rubro-Negro não perde uma final para o Vasco desde o Campeonato Carioca de 1988. De lá para cá, foram cinco decisões e cinco títulos flamenguistas: estaduais de 1999, 2000, 2001 e 2004 e Copa do Brasil 2006.

A conquista já estava entalada na garganta do flamenguista, que viu o time chegar à três decisões da Copa do Brasil nos últimos quatro anos – perdeu para o Cruzeiro em 2003 e para o Santo André em 2004. Essa foi a sexta vez na história que o vencedor da primeira partida ficou com o troféu.

Antes do início da partida, a Polícia Militar registrou brigas entre torcedores nos acessos ao estádio, situação que se repetiu nas arquibancadas do Maracanã durante o jogo. Confusão que contrastou com a mensagem de paz na fronteira entre Líbano e Israel, cujo confronto armado já dura duas semanas.

O jogo – O técnico Renato Gaúcho optou por mudar o ataque, trocando Valdiram por Valdir Papel. A estratégia do treinador vascaíno, no entanto, foi para os ares aos 15 minutos do primeiro tempo, quando o atacante foi expulso. Pouco depois, saiu o gol de Juan, praticamente sacramentando o título flamenguista.

Além de Papel, outra diferença em relação ao time do primeiro jogo foi a entrada do volante Ygor, que cumpriu suspensão na partida anterior, no lugar de Yves. No Flamengo, Ney Franco apenas colocou o zagueiro Rodrigo Arroz na vaga do suspenso Ronaldo Angelim.

O jogo começou com o Flamengo mais solto. Logo com 30 segundos, Luizão abriu bem na direita para Leonardo Moura, que deixou Renato Augusto livre para marcar. O meia, no entanto, bateu fraco e facilitou o trabalho de Cássio.

Nervoso, os vascaínos não conseguiam trocar passes nos primeiros minutos da partida. Já os flamenguistas desciam com velocidade, utilizando Luizão como pivô, mas não encontravam facilidade para finalizar a gol.

A aposta do Vasco era na individualidade de Ramón, Morais e Edílson. Mas a situação se complicou aos 15 minutos, quando Valdir Papel, que já tinha cartão amarelo, fez falta por trás em Leonardo Moura e foi expulso. Revoltado, o técnico Renato Gaúcho empurrou o jogador assim que ele deixou o campo.

Mesmo assim, quem chegou perto do gol foi o Vasco. Aos 17 minutos, Morais pegou um rebote de escanteio e emendou de primeira, mas Diego fez uma excelente defesa. Na seqüência, o técnico Ney Franco adiantou seu time colocando Obina no lugar de Toró, que já havia recebido o cartão amarelo.

Aos 24, Obina quase abriu o placar. Renato puxou contra-ataque em velocidade e deixou o atacante em ótimas condições, mas o zagueiro Fábio Braz travou o chute. No rebote, Obina mandou para fora.

Três minutos depois, explosão na arquibancada. Leonardo Moura arriscou da entrada da área, a bola bateu na zaga e sobrou para Juan encher o pé e abrir o placar para o Flamengo. O gol fez com que Renato Gaúcho colocasse o time mais à frente, tirando Ramón e colocando Valdiram.

Sem se acomodar com a vantagem, o Flamengo seguiu com uma postura ofensiva sendo empurrado pela eufórica torcida rubro-negra. O time de Ney Franco quase ampliou o placar aos 40 minutos, com Obina chutando forte de fora da área. Cássio espalmou e o primeiro tempo terminou em 1 a 0.

A segunda etapa começou com o Flamengo tocando a bola e buscando faltas, enquanto o Vasco tentava o ataque de qualquer maneira. Aos 10 minutos, Obina disparou pela esquerda e, ao tentar o cruzamento, acabou mandando direto para o gol, assustando o goleiro Cássio.

Aos 15, Jônatas pedalou na frente de Ygor, ganhou a divida com Jorge Luiz e saiu na cara do gol, mas o goleiro vascaíno acabou evitando o golaço do volante flamenguista. Seis minutos depois, Luizão recebeu de Obina e tocou rasteiro no canto, mas a bola bateu na trave.

A partir de então, o Flamengo diminuiu o ritmo e assistiu ao desespero vascaíno, que buscava ao menos empatar a partida, principalmente com as investidas de Wangner Diniz e Edílson. Nas arquibancadas, a torcida flamenguista festejava a plenos pulmões, só aguardando o apito final.

Baixe nosso aplicativo