Frente fria ameaça lançamento do Discovery na quinta-feira

0
744

Uma frente fria ameaça o lançamento do ônibus espacial Discovery que, nesta quinta-feira, partirá em uma missão de 12 dias para continuar a construção da Estação Espacial Internacional (ISS).

Segundo o Serviço Meteorológico Nacional, uma frente fria avança rumo à zona do Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral (Flórida) e pode causar um aumento das nuvens baixas e ventos.

Ônibus espacial Discovery na plataforma em Cabo Canaveral
A partida da nave está prevista para as 21h35 (0h35 de sexta-feira, em Brasília). Por enquanto, as condições para o lançamento na quinta-feira “são 60% favoráveis”, segundo a meteorologista Kathy Winters.

A agência espacial americano estabeleceu um intervalo para o lançamento até 17 de dezembro. A partida seria adiada para o próximo ano se até esta data não houver condições adequadas ao lançamento.

Em entrevista coletiva no Centro Espacial Kennedy, as autoridades da Nasa disseram que não haverá problemas.

A missão STS-116 acrescentará uma viga, um novo módulo de armazenamento e um novo sistema elétrico à ISS, em duas caminhadas espaciais.

Apesar à segurança reinante, as autoridades da Nasa admitiram dois problemas, que esperavam resolver nas próximas horas. Os técnicos detectaram um problema de pressão no motor de combustível sólido e um imprevisto aumento da voltagem na plataforma que fornece energia.

Tripulação

A tripulação do ônibus espacial Discovery, com lançamento previsto para esta quinta-feira para a missão STS-116, é constituída de sete membros: seis americanos –entre os quais, duas mulheres– e um sueco (foto: da esquerda para a direita).

Reuters/Charles W Luzier

Tripulação do Discovery fala com a imprensa sobre o lançamento do dia 7 de dezembro
Joan Higginbotham, especialista de missão. Para esta engenheira elétrica afro-americana, que fez toda a sua carreira na Nasa desde 1987, este será seu primeiro vôo espacial. Ela terá que manipular o braço mecânico da ISS.

William Oefelein, 41, é co-piloto. Ex-piloto de testes, entrou para a Nasa em 1998 e se tornou astronauta dois anos depois. Tem mais de 3.000 horas de vôo em 50 tipos de aeronaves. Esta será sua primeira missão ao Espaço. Tem dois filhos.

Robert Curbeam, 44, também é especialista de missão. O ex-piloto de testes é um dos integrantes da tripulação com mais experiência orbital, somando mais de 593 horas no espaço, acumuladas em vôos do ônibus espacial entre 1997 e 2001. Em sua última missão, este astronauta negro fez três caminhadas espaciais (de 19 horas) para instalar na ISS o laboratório americano Destiny. Fará as três caminhadas espaciais previstas para esta missão. Na Nasa, desde 1994, Curbeam é astronauta desde 1995. Tem dois filhos.

Crister Fuglesang, 49, especialista de missão, pertence ao corpo de astronautas da Agência Espacial Européia (ESA). É o primeiro sueco a viajar ao espaço. Tem doutorado em física de partículas. Uniu-se à Nasa em 1996 como especialista de missão. Fará duas das três caminhadas espaciais com Curbeam. É casado e tem três filhos.

Nicholas Patrick, 42, é especialista em missão. De origem britânica, é cidadão americano desde 1994. Formado na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e no Massachusetts Institute of Technology (MIT). Ex-piloto da Royal Air Force, e engenheiro mecânico com doutorado e três patentes de invenção, é astronauta da Nasa desde 1998. Este será seu primeiro vôo espacial. Sua função será manipular o braço mecânico do Discovery. É casado.

Sunita Williams, 41, especialista de missão. Ex-piloto aeronaval, com mais de 2.770 horas de vôo em 30 tipos de aviões, fará sua primeira missão no Espaço. Substituirá na ISS o astronauta alemão da ESA Thomas Reiter para uma permanência de seis meses a bordo da estação como engenheira de vôo. Fará também a terceira caminhada espacial com Bob Curbeam. A bordo da ISS, também estão os americanos Michael Lopez Alegria e russo Mikhail Tuyrin. Thomas Reiter, desde julho deste ano na ISS, voltará à Terra a bordo do Discovery.

Mark Polansky, 50, é comandante de bordo. Piloto de testes da Força Aérea americana e engenheiro aeroespacial, entrou para a Nasa em 1982 e integrando o corpo de astronautas em 1996. Polansky já fez um vôo no ônibus espacial (Atlantis) como co-piloto em 2001, acumulando um total de 309 horas no Espaço. Como piloto de avião, soma mais de 5.000 horas de vôo em mais de 30 tipos de aeronaves. É casado e tem uma filha.