Fundação Vamos Falar Português completa 10 anos de trabalho na Flórida

0
2984

ONG non profit tem a finalidade de espalhar a cultura e a língua portuguesa entre a comunidade brasileira imigrante

Joselina Reis

Fundação Vamos Falar Português

A Fundação Vamos Falar Português completa dez anos de serviços prestados à comunidade brasileira em 2014. Desde que deram início ao projeto, os educadores Andre Martins, presidente, e Cristiane Martins, diretora de integração comunitária, só pode comemorar a receptividade do público brasileiro e americano aos projetos desenvolvidos pela entidade. A FVFP oferece aulas gratuitas de português desde 2007 e realiza a maior festa junina dos Estados Unidos. Cristiane e André conversaram com a nossa reportagem:

AcheiUSA: Como e quando surgiu a necessidade de uma entidade como a Fundação Vamos Falar Português?
Cristiane Martins: A ideia da FVFP surgiu a partir de uma doação de livros em português que foi feita ao André Martins, co-fundador e presidente da FVFP. Conversando com o amigo, senador Javier Souto, o mesmo deu a idéia de não apenas doar os livros, mas criar uma organização não lucrativa onde a cultura brasileira pudesse ser explorada por residentes na Flórida, brasileiros ou não. E assim foi criada a Fundação “Vamos Falar Português”, há 10 anos, com a finalidade de divulgar a língua e a cultura do Brasil no sul da Flórida.

Começamos com eventos em bibliotecas públicas, parcerias com instituições que também promovem a nossa cultura, o projeto Teacher Planning day em Português, até iniciarmos o nosso programa de aulas gratuitas de português aos sábados em Miami.

Fundação Vamos Falar Português

AU: Quantas crianças já passaram pelas aulas da fundação?
CM: O programa de aulas gratuitas de português foi fundado em 2007, desde então mais de 2000 crianças já se beneficiaram do nosso programa.

AU: Quantas crianças estão atualmente aprendendo o idioma com a fundação?
André Martins: Hoje temos quatro núcleos: Miami, Miramar, Boca Raton e Wellington. Todos os núcleos possuem fila de espera. Atualmente temos 320 crianças frequentando nossas aulas e mais de 120 crianças na fila de espera.

AU: Quais outras atividades a FVFP desenvolve durante o ano?
AM: Além de celebrar as datas festivas brasileiras durante as aulas de português, também celebramos o Dia das Crianças, Dia das Mães e a nossa já tradicional festa junina, o Arraial da VFP.

AU: Como é feita a escolha dos professores que trabalham com as crianças?
CM: Todos os nossos professores são brasileiros, profissionais formados e com experiência em Educação, aqui ou no Brasil. Estamos recrutando no momento para um possível novo núcleo em Deerfield Beach. Os interessados podem mandar um breve curriculum para o meu email cristiane@vamosfalarportugues.org.
Oferecemos um treinamento aos professores antes do início do programa e assessoria durante todo o tempo. A qualidade do nosso programa é garantida através da nossa equipe de professores, coordenadores de cada núcleo, coordenadores de conteúdo e por mim, como coordenadora geral do programa.

Fundação Vamos Falar PortuguêsAU: Como é desenvolvido o curriculum escolar para as aulas?
CM: O curriculum escolar para as crianças de 2 a 6 anos é desenvolvido pela educadora infantil Tatiana de Castro e para as crianças de 7 a 15 anos pela nossa Diretora Acadêmica e co-fundadora da FVFP, Beatriz Cariello. Eu dou o apoio às crianças especiais no programa e a coordenação geral do programa também é minha. Todos os núcleos seguem o mesmo planejamento de aula.

AU: Como está sendo a procura dos pais por aulas em português para os filhos?
CM: A procura é cada vez maior, todos os dias recebemos matrículas para o programa. O conteúdo do programa é intenso e divertido ao mesmo tempo. Conseguimos o respeito da comunidade com um programa gratuito e isso é o resultado de um trabalho sério.
Temos 28 turmas adotadas por 26 empresas WK Cargo, Banco do Brasil, New York Life, Picanha Brasil, Giraffas, Oxford Group, O Mundo Culinário de Bia Flores, Looks to Kill, Business Choice, Atlantic Dental, Benedetti Ortho, Diniz Fit, H2O Tours and Travel, PrimeLog Solutions, Self Enlightenment, Skincare Life, SOS Marceneiro, Vanice Zimmer Miami Realtor, WBC Communications, DMS Motorcycles e a massagista Luely Leite, além dos locais das aulas que são cedidos, WkCargo (Miami), Pacesetter Academy Pre school (Miramar), Igreja Batista Boca Glades (Boca Raton) e Whole Foods Marketplace (Wellington) e AcheiUSA Newspaper.

AU: Quais são os planos de expansão da VFP?
AM: Planejamos expandir o programa de aulas gratuitas de português no próximo semestre criando um núcleo de aulas em Deerfield Beach e desenvolvendo um curriculum apropriado para crianças com condições especiais que não se adaptam a uma turminha regular. A nossa festa junina este ano, em comemoração aos 10 anos de FVFP, será maior e melhor! Ninguém pode perder essa!

AU: Qual a sua opinião sobre a iniciativa da criação do Dia do Português como Língua de Herança em maio?
AM: Acho uma ideia excelente da fundadora e diretora educativa da organização Brasil em Mente, Felicia Jennings-Winterle! Nossas crianças vão participar, com certeza, dessa iniciativa! Quanto mais iniciativas como esta, mais divulgamos nossa cultura e nosso Brasil. Isso vale muito a pena!

AU: Como as famílias brasileiras poderiam incentivar a nova geração a manter o idioma?
CM: É uma tarefa não muito fácil, mas não impossível! Algumas dicas seriam falar sempre com os seus filhos em português, mesmo que eles respondam em inglês, falar sobre o Brasil com eles, ver televisão/ videos em português também, ir ao Brasil se possível, comparecer a eventos da comunidade brasileira e frequentar e apoiar as aulas da Fundação Vamos Falar Português.

AU: Como tem sido a receptividade dos americanos para com a VFP?
AM: Temos vários alunos hispânicos e americanos em nosso programa de aulas de português e eles adoram!