Governo americano pode parar amanhã se não houver acordo sobre dívida

0
519

A única maneira de um possível bloqueio ajudar a economia será um acordo de longo prazo, a redução das tensões partidárias e perspectiva de um calote ser mais assustadora

Se um bloqueio das contas públicas se arrastar por algumas semanas, empurrando a data limite para 17 de outubro para aumentar o teto da dívida, isto será muito mais prejudicial, levando até mesmo a economia letárgica de volta para uma recessão. Combine uma paralisação com um calote ou quase calote, e a economia estagnada com certeza praticamente ficará parada.

“Se for uma coisa de curto prazo, de três ou quatro dias, então as pessoas nem vão notar a paralisação e a economia seguirá normalmente”, disse David Kotok, oficial chefe de investimento da empresa de administração financeira Cumberland Advisors. “Se estender-se por três ou quatro semanas ou mais, então causará sérios prejuízos à economia, disparando uma recessão e destruindo a confiança do consumidor de modo que levará anos para reconstruir.”

As ações podem cair no início do bloqueio se não for alcançado um acordo de última hora, materializando-se até a meia-noite desta segunda-feira (30). Mas provavelmente não afundarão, a menos que o bloqueio se arraste. Aí, pode começar uma situação de pânico.

“Acho que a maior implicação seria um choque de confiança”, disse Sean West, analista americano chefe do Grupo Eurasia. “Os players do Mercado certamente voltarão suas atenções para os riscos políticos dos EUA depois de ver o Congresso caminhar na borda da crise mas nunca saltar no penhasco. Agora, tudo que precisamos é lidar com o fato de que realmente não há ninguém conduzindo o trem.”

Os mercados têm-se mantido relativamente calmos diante de um possível bloqueio. Mas as ações começaram a cair na semana passada depois de terem atingido recordes de valorização, a maioria por temer um bloqueio. E o custo para assegurar as ações do tesouro americano contra o bloqueio na semana passada alcançaram os níveis mais altos deste a crise do teto da dívida de 2011. Os mercados normalmente reagem tarde — e algumas vezes violentamente — aos eventos de Washington.

Os custos diretos de rápidos bloqueios tendem a ser relativamente pequenos.

O Gabinete de Administração e Orçamento estimou que os bloqueios em 1996 custaram ao governo cerca de $2 bilhões em termos de dólares de hoje, em consequência da recuperação dos pagamentos perdidos e do início de paralisação da atuação dos principais órgãos do governo, uma aventura cara. Trabalhadores do governo federal podem não receber salários — e isto causará um desgaste pessoal —, mas eles serão pagos depois.

Os bloqueios também podem prejudicar as empresas que fazem negócios com o governo federal, inclusive fornecedores de defesa e de outros segmentos. Mas, se o bloqueio for rápido, a maioria dos fornecedores no final será paga e as empresas não reportarão receitas menores.

Os problemas para a economia serão maiores se o governo ficar parado por mais tempo. Isto pode significar que a confiança dos consumidores e das empresas pode começar a cair, o teto da dívida começará a aparecer como uma preocupação maior e a economia pode mais uma vez deixar de superar o nível de crescimento de 3 por cento, elevando mais rapidamente a taxa de desemprego, que atualmente está em 7.3 por cento.