Governo brasileiro tenta libertar brasileira presa na Rússia

0
714

Da Redação com UOL – Representantes do governo brasileiro, entre eles deputados e senadores irão à Rússia para pedir a libertação da bióloga brasileira Ana Paula Maciel, ativista do Greenpeace. Ela está presa desde o dia 19 de setembro após um protesto conta a exploração de petróleo no Ártico. A comissão de representantes ainda não tem nada para embarcar.

O presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou o envio dos parlamentares na quarta-feira (23) durante encontro com deputados federais e o diretor de Políticas Públicas do Greenpeace, Sérgio Leitão. O objetivo é conversar pessoalmente com Valentina Matvienko, presidente do Conselho da Federação da Assembleia Federal da Rússia, equivalente ao Congresso Nacional brasileiro.

Os ativistas estão em uma prisão há 2 mil quilômetros de Moscou, o que dificulta o envio de diplomatas localizados na capital. Outro fator que preocupa o Greenpeace é a chegada do inverno russo, rigorosíssimo.

Pressão internacional

Os 30 tripulantes do navio Arctic Sunrise, entre eles a brasileira Ana Paula, foram detidos pela guarda costeira russa por um protesto contra a plataforma da empresa russa Gazprom no Ártico, onde a estatal busca petróleo. Eles foram enviados para a cidade de Murmansk, no Noroeste do país, em prisão preventiva por até dois meses – o prazo se esgota em meados de novembro.

O grupo pode pegar pena entre 10 anos e 15 anos de prisão, além de pagamento de multa. O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, disse que também conversou por telefone com o chanceler russo, Serguei Lavrov. O ministro comentou sobre o “empenho da presidente Dilma Rousseff para alcançar uma solução” com o caso da bióloga gaúcha.