Grupo pede que reforma imigratória inclua deportados

0
562

Membros do FIRM consideram injusta a separação de famílias

DA REDAÇÃO COM AP — A coalizão que reúne as maiores organizações comunitárias pró-imigrantes do país disse nesta quinta-feira (14) ao grupo de senadores que propôs as linhas gerais de um projeto de lei que inclua também nesta proposta de regularização do status imigratório dos imigrantes sem papéis o retorno de certos deportados.
O pedido do Movimento Justo para uma Reforma Imigratória indica que os deportados beneficiados teriam de ser parentes imediatos de cidadãos e residentes americanos, mas não dá mais detalhes.
“Fazemos este pedido porque é o sentimento comum. Estas deportações têm um efeito destruidor e debilitador para nossas comunidades. No Congresso, este debate é tratado como uma bolinha de ping pong, mas é preciso considerar a história dos imigrantes que são americanos, que desejam contribuir com este país e não querem que faltem seus pais que foram deportados”, disse Ricardo A. Ramírez, representante da coalizão conhecida como FIRM por sua sigla em inglês. “Isto deveria estar no centro deste debate”.
Durante o governo de Barack Obama foram deportados cerca de 400.000 imigrantes por ano, em média.
O Movimento fez o pedido em uma carta enviada ao grupo de oito senadores democratas e republicanos que no mês passado anunciou uma série de propostas para um projeto de lei sobre uma reforma imigratória. Um dos pontos inclui a eventual nacionalização dos potenciais 11 milhões de imigrantes sem papéis que vivem nos Estados Unidos.
A coalizão também pediu que: 1) a eventual nacionalização não esteja condicionada ao reforço da segurança da fronteira, 2) seja aumentada a quantidade de vistos para facilitar a reunificação familiar e 3) que a legalização de imigrantes seja realizada dentro de um tempo “razoável” e beneficie os casais de integrantes da comunidade homossexual.