Hillary ainda acredita em reforma este ano

0
555

Secretária de Estado americana diz que Obama está trabalhando duro para isso

A aprovação de uma reforma imigratória ainda em 2010 é, para muitos, quase impossível, devido ao problema de datas em um ano eleitoral. No entanto, uma representante do primeiro escalão do Governo Obama acredita que as mudanças não apenas podem ser feitas nos próximos meses como também que o partido democrata vai conseguir apoio de parlamentares republicanos. Para a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, o presidente está trabalhando duro para que isso aconteça em breve.

A ex-primeira-dama do país expressou seu otimismo durante uma entrevista concedida no giro que fez pela América Latina. Hillary fez questão de rechaçar a tese de que os Estados Unidos são um país pouco acolhedor com os estrangeiros. A base de nossa nação foi formada por imigrantes e não há no mundo um lugar que tenha tanta diversidade quanto as nossas metrópoles. No entanto, queremos que estes estrangeiros também cumpram as leis, afirmou a secretária, lamentando que a recente lei polêmica no Arizona esteja passando a informação errada sobre a nova fase da América. Ela disse que quer ver os debates da reforma ainda este ano.

O projeto de reforma está estagnado no Congresso e pouco pode ser feito antes do recesso de verão, que começa no dia 4 de julho. Os democratas contam com cerca de 50 votos favoráveis às mudanças, mas precisam totalizar pelo menos 60 como são 57 parlamentares do partido no Senado, até mesmo alguns democratas são contrários à reforma. A proposta em questão foi apresentada pelos senadores Charles Schumer (democrata de New York) e Lindsey Graham (republicano da Carolina do Sul), mas até este último já abandonou o esforço bipartidarista pela reforma. As eleições de novembro vão renovar a Câmara dos Deputados (435 assentos) e um terço do Senado (33 parlamentares).