Homens também são compradores compulsivos, mostra estudo

0
583

Antes do estudo, estimava-se que 90% das vítimas do problema eram mulheres

Ao contrário do que sugere a crença popular, o número de homens que sofrem dos distúrbio da compra compulsiva é quase tão grande quanto o de mulheres, de acordo com pesquisa da Faculdade de Medicina Stanford. O distúrbio caracteriza-se por episódios de compras descontroladas, seguidos por dificuldades financeiras.

“A opinião disseminada de que a maioria dos compradores compulsivos são mulheres pode estar errada”, escrevem os pesquisadores em artigo que será publicado na edição de outubro do American Journal of Psychiatry.

O principal autor, Lorrin Koran, diz que este é o primeiro trabalho realizado em escala nacional, nos EUA, sobre o problema. Segundo os resultados, mais de % dos americanos adultos sofrem do distúrbio.

Pessoas que sofrem do distúrbio freqüentemente sentem-se acometidas por um impulso para comprara que é irresistível, intrusivo e sem sentido. Vítimas costumam acumular produtos desnecessários e indesejados em grandes quantidades, além de juntar dívidas e mentir para a família sobre os gastos em que incorrem.

Koren destaca que o distúrbio não deve ser confundido com a compra por impulso ocasional. “Compradores compulsivos podem vir a sofrer de graves problemas psicológicos e familiares, incluindo depressão, dívidas impagáveis e o fim de relacionamentos”, explica o cientista.

Antes do estudo, estimava-se que 90% das vítimas do problema eram mulheres, e que o distúrbio afetaria entre 2% e 16% da população. Depois de entrevistar 2.513 adultos, a equipe de Stanford concluiu que 6% das mulheres e 5,5% dos homens têm sintomas que caracterizam a compra compulsiva.