Ídolo Marcos anuncia aposentadoria do futebol

0
658

A torcida do Palmeiras não verá mais seu ídolo Marcos em campo. Na tarde desta quarta-feira, o gerente de futebol Cesar Sampaio oficializou a aposentadoria do goleiro após uma reunião entre o jogador e a diretoria. O goleiro vai ganhar dois meses de férias e deve ter um grande evento de despedida com direito a participação do time do Palmeiras que conquistou vários títulos nos anos 90.

Ele oficializou que pendurou as chuteiras.

Conversou com amigos e parentes e disse que não dá mais. O corpo dele sinalizou que não dá mais. Foi uma conversa no estilo do Marcos, mas foi uma decisão difícil. Ele aproveitou as férias para refletir um pouco sobre o que significaria mais um ano jogando, os prós e contras e chegou na definição que teria mais a perder do que ganhar, disse o dirigente.

A mãe de Marcos, Antônia Reis, chegou a chorar e disse que ficou emocionada com a decisão do filho: Estou com dor no coração por não poder mais gritar o nome dele, comentou.

Sampaio explicou ter sido uma decisão difícil e dará todo o apoio ao amigo com quem atuou ainda na época de jogador.

Ele acha que chegou o momento de parar.

É meu contemporâneo, vamos dar todo o apoio. Dizem que jogador de futebol morre duas vezes, ele morreu a primeira e vamos ajudar, afirmou.

Ligado ao clube

Marcos vai continuar trabalhando no clube fora dos gramados com uma função administrativa ou diretamente ligada ao futebol. Mas antes disso, terá férias prolongadas de dois meses para descansar e passar mais tempo com a família.

Teve um acordo antigo com a gestão passada. Até por merecimento ele teria dois meses de férias após oficializar a aposentadoria.

Depois teria uma função que ele pode escolher, administrativa ou esportiva.

Pelo que eu o conheço não o vejo na parte administrativa trabalhando oito horas sentado em uma cadeira, disse.

Marcos não atua desde o dia 18 de setembro, no empate por 1 a 1 contra o Avaí. Desde então, foram 14 jogos com Deola no gol. Ele vinha lutando contraas dores pelo corpo, especialmente nos dois joelhos, que acompanham toda a sua carreira e o mpedem de atuar com frequência.

Um dos maiores ídolos da história do Palmeiras, ele se consagrou em jogos históricos contra o maior rival nas quartas de final da Libertadores de 1999 e, especialmente, ao fazer uma defesa emblemática do pênalti de Marcelinho Carioca na semifinal de 2000.

Marcos foi escolhido como o goleiro titular da seleção brasileira quando Luiz Felipe Scolari assumiu como técnico. Na Copa do Mundo em 2002, ele jogou todos os sete jogos da Seleção e se destacou como um dos melhores goleiros do Mundial. Na final contra a Alemanha, o jogador fez uma das melhores defesas da Copa, em falta batida pelo atacante Neuville.

O jogador ainda disputou a Série B pelo Verdão no ano seguinte e, na temporada 2005, com a chegada do técnico Emerson Leão, renovou seu contrato até 2009. Nos últimos anos, no entanto, vinha sofrendo com as lesões.