Imagens maravilhosas by Ronira – Parte3

0
800

A fotógrafa colaboradora do AcheiUSA, Ronira Fruhstuck, fez uma viagem maravilhosa por algumas das regiões mais lindas do mundo, percorrendo o deserto de Tacama, no Chile, e Salar de Uyuni, na Bolívia

Suas emoções podem ser vistas nestas belas imagens captadas com sensibilidade e delicadeza. Enfim, algo que ela achou muito egoísta guardar somente para si. E decidiu compartilhar com os leitores do AcheiUSA algumas fotos de tirar o fôlego. Aproveite para curtir estas imagens indescritíveis. Isto pode servir como um aperitivo, antes de ela organizar uma exposição com as fotos registradas em sua viagem.

Para maior encantamento, Ronira ainda nos brinda com um texto no qual narra o que passou durante a viagem.

O AcheiUSA encerra nesta edição a série que mostra o material fotográfico capturado por ela em três edições. Acompanhe aqui a última parte deste especial. E encante-se com estas fotos lindas.

Ronira Fruhstuck
Especial para o AcheiUSA

Paisagem surreal que seduz os visitantes

Cemitério de trens na Bolívia, remanescentes da época em que os trens transportavam minérios, fontes de recursos para a economia boliviana
Cemitério de trens na Bolívia, remanescentes da época em que os trens transportavam minérios, fontes de recursos para a economia boliviana

A crosta sólida de sal do Salar pode medir centímetros ou até metros de espessura. No centro do Salar, existem algumas ilhas, que são remanescentes de vulcões pré-historicos. Paramos para explorar a Ilha de Incahuasi, com seus milenares cactus gigantes e com elevação suficiente para se avistar a imensidão do Salar.

Nossos motoristas prepararam um almoço para nós ali mesmo. Depois, sem avisar, afastaram-se com os carros alguns quilômetros, nos deixando ali, curtindo o Salar por algumas horas.

A paisagem era surreal, de um branco intenso que se misturava com o azul do horizonte.

As meninas do nosso grupo faziam várias brincadeiras e tirei inúmeras fotos de todas.

O único problema foi ter esquecido de passar protetor solar. O sol refletia-se no sal e queimava em dobro, além de nos deixar quase cegas. Pode-se imaginar a “fritada” que levei no rosto! Fiquei feito um pimentão desidratado e salgado!

Salar de Uyuni, na Bolívia, paisagem incomum
Salar de Uyuni, na Bolívia, paisagem incomum

Laguna Blanca, na Bolívia, forma uma bela pintura com os morros ao fundo
Laguna Blanca, na Bolívia, forma uma bela pintura com os morros ao fundo

Atravessamos o Salar e fomos para a cidade boliviana de Uyuni. No caminho paramos no Cemitério de Trens, que também é uma das atrações turísticas da região. Os trilhos foram construídos pelos ingleses por volta de 1888, a convite do governo boliviano. Os trens eram usados para transporte de minérios até 1940. Quando estes recursos naturais foram esgotados, os trens foram simplesmente abandonados no meio do deserto. A visão desses gigantes de ferro em decadência forma uma paisagem bizarra, meio amendrontadora, mas, com certeza, interessantíssima!

A cidade de Uyuni, com aproximadamente 10 mil habitantes, é o portal para os 60 mil turistas do mundo inteiro que visitam a região anualmente. Passamos somente algumas horas por ali, enquanto esperávamos outros motoristas que nos levariam de volta a São Pedro de Atacama.

Após o translado de carro, mochilas, etc, iniciamos a viagem de regresso.

Frio insuportável

O trajeto de volta seria direto, sem paradas. Na última noite na Bolívia, dormimos num alojamento no meio do deserto. Durante o trajeto, na total escuridão, viam-se apenas as luzes do jipe refletindo na escassa vegetação. Estava exausta. Fazia muito frio e ainda tinha que encarar o banho na casinha lá fora. Exatamente às 4 horas da madrugada tínhamos de estar prontas para iniciar a volta a São Pedro. E não é que, apesar de todos os conselhos da mocinha “exagerada” da agência, esqueci de levar o saco de dormir para dentro do carro? Nunca passei tanto frio na minha vida. Apesar de estar morta de sono, o ar gelado não me deixava dormir. Não via a hora de o sol nascer para esquentar. Mas ele demorou uma eternidade!

Chegamos em São Pedro por volta de meio dia. Despedi-me do grupo e segui para a pousada.

Com o coração apertado, dei-me conta de que esta viagem estava quase no fim. Com a alma lavada e uma sensação de plenitude, senti-me muito privilegiada pela oportunidade que tive. A natureza mais uma vez havia me deixado encantada e me provado que ela pode superar-se e surpreender, proporcionando situações inusitadas de rara beleza aos olhos atentos. Tentei conformar-me com a certeza de que sempre existirão novas trilhas, novos lugares e outras ocasiões para aprender sempre mais. Lembrei que ainda tinha mais três dias dirigindo de volta a Santiago. Sorrindo, peguei minha mochila e disse em voz alta para o Universo: “Até a próxima!”.

Lagos Altiplanos, na Bolívia, onde vivem os flamingos em paz com a natureza
Lagos Altiplanos, na Bolívia, onde vivem os flamingos em paz com a natureza

Para ver mais fotos, visite:
www.ronira.com
www.facebook.com/PhotographyByRonira
Álbum: Deserto de Atacama e Salar De Uyuni


LEIA MAIS