Histórico

Imigração causa falta de colhedores na agricultura

Plantação de laranjas da Flórida sofre com a escassez de agricultores para colher os pomares.

Cerca de seis milhões de caixas de laranjas podem ficar sem ser colhidas na Flórida este ano por causa do baixo número de colhedores de frutas, que piorou bastante por causa dos temores sobre possíveis mudanças nas leis de imigração.

A temporada citrícola normalmente termina no final de junho, mas se estenderá até pelo menos o final de julho deste ano, com os processadores de suco esperando que sejam colhidas o maior número possível de frutas dos pomares de laranjas.

“Não há dúvida de que uma grande quantidade de frutas ficará nas árvores”, reconhece Mike Carlton, diretor de produção e assuntos trabalhistas da Florida Citrus Mutual. “Se será três ou seis milhões de caixas, ninguém pode dizer.”

Acredita-se que haja cerca de nove milhões de caixas de laranjas Valencia ainda nas árvores neste mês, divulgou o The Ledger neste domingo(9). A produção de laranjas no estado pode tornar-se a mais baixa desde 1992 se as piores projeções tornarem-se realidade. Naquele ano, os plantadores colheram 139,8 mihões de caixas.

O Departamento de Agricultura dos EUA deve divulgar sua projeção final de colheita nesta quarta-feira(12), mas seu relatório de projeção emitido em 9 de junho previu 153 milhões de caixas de laranjas.

Plantadores divulgaram a dificuldade em encontrar trabalhadores. Os agentes da indústria dizem que a quantidade de mão-de-obra estava escassa desde o início da temporada em outubro, mas piorou no meio de maio, quando uma grande parte da força de trabalho composta por hispânicos parece ter deixado o estado .

“A escassez de mão-de-obra nos prejudicou este ano,”, disse Dave Crumbly, vice-presidente do controle de frutas dos Florida’s Natural Growers, em Lake Wales, o terceiro maior processador de cítricos do país.

Executivos deste segmento citaram a discussão sobre a pressão sobre imigrantes pelo problemas deles em encontrar trabalhadores hispânicos, que compõem a maioria da força de trabalho da Flórida.

O plantador de cítricos Marty McKenna, de Lake Wales, que possui cerca de 4.000 acres de pomares, disse ter ouvido rumores na comunidade hispânica de que eles teriam de retornar para casa se quisessem trabalhar nos EUA novamente.

O maior processador do estado, Tropicana Products Inc., em Bradenton, planeja permanecer aberto até 21 de julho, disse Peter Brace, porta-voz da holding PepsiCo Inc. em Chicago.