Imigração e Iraque causam polêmica em debate republicano

0
537

Romney, Giuliani e McCain lideram a corrida pela indicação republicana

A guerra no Iraque e a questão da imigração dominaram o terceiro debate entre os pré-candidatos do Partido Republicano à presidência dos Estados Unidos na terça-feira, 5.

O debate, realizado no estado de New Hampshire e transmitido ao vivo pela TV, teve a participação de 10 pré-candidatos, entre eles os favoritos John McCain, Rudolph Giuliani e Mitt Romney. Durante duas horas, os candidatos responderam a perguntas de jornalistas e eleitores.

O assunto mais polêmico da noite foi a questão da imigração. Mais especificamente, o projeto de lei que poderá regularizar a situação de 12 milhões de imigrantes ilegais nos Estados Unidos, resultado de um acordo entre o presidente George W. Bush e um grupo bipartidário de senadores.

O senador McCain, o único entre os candidatos a apoiar o polêmico projeto, disse que a lei, que ainda precisa passar pelas duas Casas do Congresso americano, não é popular entre os republicanos, mas é “necessária para a segurança nacional”.

A postura de McCain a respeito da questão provocou críticas de seus rivais.

O ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani disse que o projeto de lei não tem uma “proposta unificadora” real.

O ex-governador de Massachusetts Mitt Romney disse que a lei vai garantir anistia a imigrantes ilegais.

Romney criticou especialmente o chamado “Visto Z”, que daria a imigrantes ilegais a possibilidade de obter residência permanente nos Estados Unidos. Segundo o candidato, isso permitiria a esses ilegais passar na frente de outros estrangeiros que desejassem imigrar legalmente para o país.

Iraque e Irã
A guerra no Iraque dominou o início do debate e também provocou polêmica.

Os senadores John McCain e Sam Brownback foram obrigados a admitir que não haviam lido um relatório detalhado da National Intelligence Estimate (NIE) antes de autorizar a invasão do Iraque.

Essa revelação provocou críticas do candidato Jim Gilmore, ex-governador da Virgínia.

No entanto, o senador McCain defendeu a decisão de invadir o Iraque, argumentando que sanções para evitar que o ex-líder iraquiano Saddam Hussein adquirisse armas de destruição em massa não surtiram efeito.

Cada um dos candidatos foi questionado sobre que ação tomaria caso a atual escalada das forças americanas no Iraque não conseguisse controlar a violência no país.

McCain disse que uma retirada antecipada das tropas americanas seria desastrosa para toda a região.

Romney afirmou que acabaria com a violência ao dividir o Iraque em três Estados.

O único candidato a pedir uma retirada imediata das tropas americanas do Iraque foi o congressista texano Ron Paul. “Foi um erro ir (ao Iraque), então é um erro permanecer”, disse Paul.

Os candidatos aproveitaram ainda o debate para dar um recado ao Irã, ao afirmar que poderiam considerar a possibilidade de um ataque nuclear para evitar que o governo de Teerã desenvolva armas nucleares.

New Hampshire é tradicionalmente o primeiro Estado americano a realizar primárias para escolher os candidatos democrata e republicano. O Estado deverá escolher seus candidatos já em janeiro.

Na noite de domingo, os pré-candidatos democratas realizaram um debate em New Hampshire, no qual a guerra no Iraque também foi o assunto dominante.

As eleições presidenciais americanas serão realizadas em novembro de 2008.