Imigrantes planejam passeata em New York

0
427

Objetivo da manifestação de 14 de março é defender direitos e lutar pelo DREAM Act

DA REDAÇÃO – Imigrantes hispânicos, russos, árabes e asiáticos anunciaram uma ação conjunta para pressionar o governo do estado de New York para que defenda seus direitos e ajude a financiar a educação dos jovens sem papéis.

Centenas de imigrantes pretendem viajar no dia 14 de março atá a capital do estado, Albany, com o objetivo de se fazer ouvir nas ruas, ao exigir proteção a serviços de ajuda, menor colaboração entre polícias federais e locais em assuntos imigratórios e a aprovação do DREAM Act em New York, entre outras coisas.

Não é um protesto, disse Chung-Wha Hong, diretora da Coalizão de Imigrantes de New York durante uma coletiva de imprensa. É uma demonstração de força, para mostrar quantos somos. É a maior concentração de líderes imigrantes diante dos políticos de Albany.

Os ativistas da Coalizão disseram que durante o chamado Dia de Ação dos Imigrantes aproximadamente 1.200 deles se agruparão no centro de Albany com cartazes e depois se reunirão com uns 70 legisladores para falar de assuntos que lhes afetam. A Coalizão é formada por quase 200 grupos, sindicatos e organizações no estado que se dedicam a oferecer serviços de todos tipos aos imigrantes.

Uma de suas principais reivindicações é a aprovação do DREAM Act em New York, proposta que permitiria ao governo estadual oferecer ajuda financeira e bolsas de estudo para jovens imigrantes sem autorização para residir nos Estados Unidos.

Outra das solictações é a ajuda e financiamento de exames especiais para que adolescentes imigrantes se formem na escola secundária e possam ira para a universidade. A educação é um aspecto importante que nos ajuda a viver melhor , disse Leticia Alanis, representante da organização La Unión. Vamos a Albany para tentar abrir mais oportunidades .

Grupos como o Centro do Imigrante, a Associação Árabe-Americana de New York e o grupo Haitianos-Americanos Unidos para o Progresso pedirão também uma clara separação entre os órgãos policiais locais e os federais que se dedicam a aplicar as leis imigratórias no estado. Os ativistas disseram que falarão com os legisladores sobre a necessidade de frear a troca de informações sobre imigrantes entre os dois lados.

Os ativistas que lutam pelos direitos dos imigrantes em New York conseguiram duas importantes vitórias recentemente: a suspensão da participação do estado no programa imigratório federal Comunidades Seguras e a assistência obrigatória em várias línguas por parte dos serviços fornecidos pelo estado.