Imigrantes pulam muro na fronteira com a Espanha e caem em campo de golfe

0
795

“ImigrantesUma imagem do fotógrafo José Palazón divulgada esta semana no eldiario.es, mostra duas pessoas jogando golfe no campo que se encontra perto da cerca que limita o final de Melilha e Espanha. No fundo, um grupo de doze pessoas está pulando a cerca. “Era cerca de 11h da manhã. Os rapazes saltaram por um lugar perto do campo de golfe e me pareceu um bom momento para não tirar a típica foto deles, conseguir algo mais simbólico, que pudesse refletir muito bem a situação, as diferenças que existem aqui, tudo o que é feio e que está acontecendo”, explica Palazón ao EL PAÍS, ainda perto da cerca, onde continua por nove horas depois de tirar a fotografia.

José Palazón é o diretor da ONG Prodein, de Melilha, e um veterano ativista que trabalha na zona. Quando atende o telefone, não sabe que sua imagem foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais porque passou todo o dia na cerca: “Imagino que o impulso de compartilhá-la é causado porque mostra tudo que nos deixa tão bravos, a diferença norte-sul, a desigualdade, a violência que se vive aqui. Tudo que qualquer pessoa odeia e despreza.”

Também enfatiza que não se trata de julgar as duas pessoas que aparecem na foto jogando golfe. “Eu não digo que essas duas pessoas sejam insensíveis. Talvez estejam aí por indiferença, mas também por medo a se envolver em um lugar tão pequeno como é Melilha, onde ir contra a mentalidade enraizada tem muitas implicações”.

Muitas pessoas se perguntavam no Twitter se a foto era real ou era um efeito ótico que fazia com que ambas as cenas parecessem estar mais próximas do que realmente se encontravam. “Não é um efeito. As duas pessoas que estavam jogando golfe estavam a uns 150-200 metros da cerca. O limite do campo é a cerca”, explica Palazón.