Histórico

Inter vence o São Paulo e fica perto do título inédito

Com a vitória, o Colorado gaúcho conseguiu uma boa vantagem para a partida decisiva em Porto Alegre

Não há nada perdido para o São Paulo, mas a habilidade de Rafael Sóbis deixou o Internacional bem mais perto do título da Copa Libertadores. Com dois gols do atacante, os gaúchos derrubaram o time de Muricy Ramalho por 2 a 1, na noite desta quarta-feira (9), no Morumbi, e precisam apenas de um empate no segundo jogo, no Beira-Rio, dia 16, para ficar com o título continental pela primeira vez.

Os são-paulinos ainda têm esperanças: precisam ganhar por um gol de diferença para decidir na prorrogação. Triunfo por dois ou mais gols deixa os paulistas com a taça pela quarta vez. “Não estamos mortos, ainda. O São Paulo mostrou sua força e tem condições de vencer, mesmo fora de casa”, opinou Mineiro. “O resultado foi muito importante, mas, pela qualidade do São Paulo precisamos ter respeito”, ponderou o meia Alex.

O time da casa começou mais disposto e foi para o ataque nos primeiros minutos. Estava bem posicionado e dominava o meio-campo, até que Josué comprometeu totalmente a estratégia, ao acertar cotovelada infantil em Rafael Sóbis e ser expulso. Os gaúchos aproveitaram a vantagem e pressionaram. Jorge Wagner recebeu livre na esquerda, chutou cruzado, mas Rogério Ceni fez grande defesa.

A única alternativa dos são-paulinos foi apostar nos contra-ataques e quase tiveram sucesso aos 23 minutos, quando Ricardo Oliveira deixou Leandro de frente para o gol, mas o chute parou na defesa.

Quando tudo parecia controlado pelo Internacional, Fabinho foi mais imprudente do que Josué: acertou um tapa em Souza, sem bola e também recebeu cartão vermelho. Nos minutos finais, o time de Muricy Ramalho voltou a equilibrar o jogo e quase abriu o placar aos 42, quando Souza, livre pela direita, recebeu de Danilo, mas o chute saiu fraco e Clemer evitou o gol sem problemas.

Habilidade – Na etapa final, os visitantes continuaram melhor posicionados e chegavam com mais facilidade à frente. E numa das escapadas, o talento de Rafael Sóbis fez a diferença. O atacante tirou Fabão da jogada com uma finta, acertou o canto direito de Rogério Ceni e abriu o marcador, aos 8 minutos. O time da casa sentiu o golpe e levou o segundo gol em seguida, aos 16. Fernandão e Tinga não aproveitaram o cruzamento da esquerda, mas Rafael Sóbis pegou o rebote do travessão e mandou para as redes.

Na pressão, o São Paulo descontou, numa distração da defesa gaúcha. Leandro cruzou da direita e Edcarlos apareceu como centroavante, livre, tocou de cabeça no canto de Clemer e diminuiu o prejuízo.

Logo depois, Rafael Sóbis poderia ter decidido o jogo, quando recebeu livre, mas se precipitou e mandou por cima. “Foi uma pena, a bola quicou e pegou na canela”, lamentou Sóbis. “Fazer dois gols foi importante, sabemos o quanto esse título significa para a nossa torcida.”

Nos minutos finais, o São Paulo foi para o desespero. A torcida pediu pênalti, quando Aloísio caiu na área e lamentou a defesa de Clemer, no canto esquerdo, aos 44. Souza, de frente para o gol, pegou mal e mandou para fora a última chance. “Não faltou vibração, temos condições de vencer em Porto Alegre”, disse Leandro. O discurso é do respeito, mas a Taça Libertadores ficou mais perto do Beira-Rio do que do Morumbi.