Iraniana ainda corre o risco de apedrejamento

0
500

Comunidade internacional volta a fazer apelo por Sakineh Mohammadi Ashtiani

O Ministro de Relações Exteriores do Irã, Manouchehr Mottaki, garantiu que não há uma decisão final sobre a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, mas ativistas garantem que ela pode ser executada ainda esta semana. A sentença de apedrejamento foi suspensa este ano, mas o processo está em andamento. Sakineh é acusada de cumplicidade na morte do marido.

Os rumores do apedrejamento da iraniana se espalharam rapidamente, depois que a presidente de um organização internacional que luta contra tal prática manifestou sua desconfiança em relação à intenção do governo local. Mina Ahadi chegou a pedir a intervenção da presidente-eleita Dilma Roussef no caso. “Dilma é mulher, e conhece bem os problemas enfrentados por mulheres”, disse a ativista do Comitê Internacional contra Apedrejamento.

Autoridades iranianas, no enmtanto, garantem que o apedrajamento foi suspenso, devido à mudança na sentença de Sakineh – ela não será mais punida por adultério, mas a pena de morte pode ser enforcamento. Segundo membros do governo de Teerã, o Ocidente utiliza esse episódio para pressionar o Irã. “Os ocidentais são tão insolentes que transformaram o caso de Sakineh, que cometeu crimes, em um caso de direitos humanos”, afirmou, por sua vez, Ramin Mehmanparast, porta-voz do ministério das Relações Exteriores iraniano. Sakineh, segundo fontes de Teerã, se encontra em perfeito estado de saúde, na prisão de Tabriz.