Jornal diz que fundo de pensão da Suécia processará Petrobras

0
500

Um dos maiores investidores da Suécia, o fundo de pensão AP1, com $30 bilhões em ativos, decidiu processar a Petrobras, segundo o jornal britânico “Financial Times”. De acordo com a publicação, o fundo vai se tornar o terceiro grande investidor a buscar individualmente uma compensação financeira da petroleira. O AP1 detinha 3,7 milhões de ações da Petrobras no final de dezembro.

Um porta-voz do AP3, o segundo maior fundo de investimento da Suécia, com $33 bilhões em ativos, afirmou que a entidade não descarta a possibilidade de também processar a estatal.

A ação possivelmente movida pelo fundo sueco não é o primeiro imbróglio internacional envolvendo a petrolífera brasileira. No final de março, um escritório de advocacia dos Estados Unidos registrou uma ação coletiva contra a Petrobras e suas subsidiárias internacionais em um tribunal de Nova York. A ação consolidou “dezenas de ações” já existentes contra a estatal brasileira no exterior.

Na ação, o escritório Pomerantz LLP alega que a Petrobras e seus altos executivos estão envolvidos em um esquema bilionário e com duração de “muitos anos” de “lavagem de dinheiro e pagamento de propinas que foi ocultado de investidores”.

Os advogados representam investidores que compraram ações não só negociadas na BM&FBovespa, mas também as chamadas ADRs, que são papéis da estatal operados no mercado financeiro de Nova York.

Somente nos Estados Unidos, já foram registradas pelo menos 11 ações coletivas contra a Petrobras, por parte de investidores, motivadas pelas denúncias de corrupção investigadas na operação Lava Jato.