Juiz de imigração do condado de Broward estaria envolvido em escândalo político

0
526

De acordo com Departamento de Justiça, Rex Ford teve participação em esquema de favorecimento na indicação de republicanos

Um dos juízes responsáveis pelas audiências de casos envolvendo imigrantes em Broward, Rex Ford, está citado em um relatório da comissão de ética do Departamento de Justiça como tendo participado de um esquema de favorecimento nas nomeações para os cargos de magistrados nas Cortes de Imigração. O documento, de 146 páginas, aponta que Ford e outros dois juízes (Garry Malphrus e Mark Metcalf) vetavam ou recomendavam candidatos para as entrevistas ao cargo, num processo que invariavelmente resultava em indicação de republicanos.

O relatório, que tornou-se público há poucos dias, indica que a violação às leis federais era corroborado por outras autoridades, que simplesmente passavam por cima dos procedimentos normais para estas indicações. Esse mesmo escândalo foi uma das causas do pedido de demissão do procurador-geral da república, Alberto Gonzales, em 2007, e da demissão de vários outros funcionários do Departamento de Justiça. Entre as apontadas como participantes do esquema estão também Monica Goodling, principal assistente de Gonzales, e Kyle Sampson, chefe de gabinete daquele órgão.

O secretário de Justiça americano Michael Mukasey, porém, rejeitou recentemente a idéia da acusação criminal neste caso, alegando que o uso de critérios políticos para decisões de contratação já haviam sido punidos através de medidas internas rigorosas. Para ele, a preferência por candidatos conservadores a outros com formação liberal representa uma violação da lei de serviço público federal, mas não de uma lei criminal. Portanto, mesmo que sejam comprovadas as suspeitas sobre o juiz Ford, de Broward, que inclusive escapou das acusações de conduta imprópria, é improvável que ele seja destituído do cargo.

Como juiz de imigração desde 1993, Ford participa das audiências em que indocumentados e seus advogados apresentam petições para permanência nos Estados Unidos. Ele é considerado um magistrado severo e conservador, que normalmente não emite decisões favoráveis aos imigrantes. Ford, que mora em Palm Beach, não quis comentar o conteúdo do relatório.