Kennedy critica pedido de apoio à guerra feito por Bush na cerimônia de 11/9

0
1074

“O presidente deveria sentir vergonha de usar um dia de luto nacional com um discurso criado não para unir o país e prestar homenagem aos mortos, e sim para pedir apoio à Guerra do Iraque”, afirmou o senador democrata

O senador democrata Edward Kennedy criticou o discurso no qual o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, lembrou o quinto aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001. No discurso, Bush fez um apelo à unidade e pediu o apoio do povo americano ao conflito no Iraque. Kennedy disse que Bush aproveitou a ocasião para pedir apoio a um conflito que a cada dia fica mais impopular.

“Sejam quais forem os erros no Iraque, o pior erro seria pensar que se sairmos de lá os terroristas nos deixarão em paz”, disse Bush, para depois prometer que Osama bin Laden, líder da organização Al-Qaeda, “será perseguido até a sua captura”.

“O presidente deveria sentir vergonha de usar um dia de luto nacional com um discurso criado não para unir o país e prestar homenagem aos mortos, e sim para pedir apoio à Guerra do Iraque, que, como ele mesmo admitiu, não tem nada a ver com o 11 de Setembro”, criticou Kennedy. “Haverá tempo para debater as políticas do presidente, esta não é a ocasião”, acrescentou.

O discurso de Bush foi feito a menos de dois meses das eleições legislativas de novembro. Um resultado desfavorável para o Partido Republicano do presidente, cuja popularidade se encontra nos níveis mais baixos desde que chegou à Casa Branca, pode levar à perda da maioria no Congresso.

O apelo de Bush, entretanto, recebeu o apoio de Nancy Pelosi, líder da minoria democrata na Câmara de Representantes. “Devemos proteger e guardar o povo dos EUA, porque não estamos totalmente seguros. É importante continuarmos unidos”, afirmou