Maioria dos americanos apóia legalização de imigrantes ilegais

0
514

Enquete do New York Times revela apoio de 67% dos americanos

A maioria dos americanos apóia grande parte das disposições do projeto de lei sobre imigração que está sendo debatido pelo Senado dos Estados Unidos, revela uma pesquisa publicada nesta sexta-feira pelo jornal “The New York Times”.

O Senado dos EUA debate um projeto de lei, de 628 páginas, que pretende legalizar a população clandestina, fortalecer a segurança fronteiriça e controlar os fluxos migratórios.

A enquete revela que 67% dos americanos são a favor de legalizar os cerca de 12 milhões de imigrantes ilegais que moram nos EUA se eles pagarem uma multa, não tiverem antecedentes penais e apresentarem um histórico limpo.

Com relação aos imigrantes ilegais que estão nos EUA há pelo menos dois anos, 62% dos americanos acham que eles deveriam solicitar a legalização de sua situação, enquanto 33% considera que eles deveriam ser deportados.

Quanto às condições que devem ser analisadas para aceitar os imigrantes, 51% dos entrevistados apontam a educação, a qualificação e a experiência profissionais. Já 34% acreditam que é preciso pesquisar os vínculos familiares dos requisitantes nos EUA .

A pesquisa também revela que 66% dos americanos são a favor de um programa de trabalhadores temporários, algo a que 30% dos entrevistados se opõem.

O estudo foi realizado em parceria do jornal com a rede americana de televisão CBS.

O plano de legalização para os 12 milhões de imigrantes ilegais exige que, para obter a residência permanente, eles “reconheçam que violaram a lei, paguem uma multa, se submetam a uma revisão de antecedentes, tenham trabalho fixo” e não tenham antecedentes penais, como insistiu Bush nesta quinta-feira.

Mas os senadores conservadores e grupos partidários alegam que o projeto é uma anistia desmerecida e que, da forma como está concebido, não conterá a imigração ilegal.

O governo Bush realiza uma campanha para manter a maioria dos elementos do plano de reforma da imigração intactos.

O projeto foi pactuado entre congressistas democratas e republicanos na semana passada.

Derrota

A Casa Branca sofreu uma derrota na quarta-feira, quando o Senado aprovou uma emenda que reduz pela metade os 400 mil vistos anuais que seriam concedidos aos trabalhadores temporários nos setores de construção, jardinagem e hotelaria, entre outros.

O programa de trabalhadores temporários outorga vistos durante três períodos de dois anos cada um e exige que o imigrante retorne a seu país durante um ano em cada intervalo destes.

O projeto, que é peça-chave do plano de reforma, recebeu críticas de grupos de direita e de esquerda. Entre os ajustes aprovados desde o início do debate, na terça-feira (22), também aparece uma emenda que determina que os reincidentes no cruzamento ilegal da fronteira sejam prisos.

A proposta também estabelece que o número de agentes da Patrulha de Fronteira seja aumentado de 18 mil para 20 mil e autoriza a construção de barreiras ao longo de 482 quilômetros na fronteira com o México.