Mais de 38 milhões de brasileiros têm acesso à Internet

0
672

Número de usuários cresceu 5%

O número de pessoas que moram em residências em que há computador com acesso à internet subiu para 38,2 milhões, crescimento de 5% sobre o trimestre anterior e de 19% sobre o mesmo período do ano passado, conforme dados divulgados nesta segunda-feira por uma pesquisa conduzida pelo Ibope/NetRatings. Em dois anos, o crescimento foi de 73%. Dessas pessoas com acesso, 24,4 milhões navegaram em novembro, aumento de 3% sobre o mês de outubro e de 13% sobre novembro de 2007.

O total de pessoas de 16 anos ou mais de idade com acesso em todos os ambientes – residências, trabalho, escolas, lan-houses, bibliotecas, telecentros – foi de 43,1 milhões, no terceiro trimestre de 2008. Nos EUA outra pesquisa, feita pelo instituto Gallup, indica que a leitura de notícias pela Internet foi a que mais cresceu nos últimos 12 anos, de 3% em 1996, para 15% em 2003 e 31% em 2008. O Gallup ouviu jovens de 18 a 29 anos, entre 4 e 7 de dezembro, sobre como eles acompanham as notícias. A preferência dos norte-americanos continua a ser a televisão.

De volta ao Brasil, cada um dos 24,4 milhões de usuários ativos somou em média um tempo de 23 horas e 47 minutos de navegação em novembro, 4% a menos que no mês anterior e 3% maior que em novembro de 2007, segundo o Ibope. O Brasil manteve-se na primeira posição entre os países medidos com mesma metodologia. Ficaram mais próximos do Brasil em novembro a França, com 23 horas e 45 minutos, e a Alemanha, que marcou 23 horas e 5 minutos.

– Os internautas dos outros países têm aumentado seu tempo de permanência, atraídos principalmente por sites de relacionamento social, que são os conteúdos que mantêm as pessoas por mais tempo conectadas – comentou José Calazans, analista de mídia do Ibope/NetRatings. – No Brasil esses sites de comunidades sempre representaram também a maior parte do tempo on-line, mas outras categorias vêm crescendo acima da média em tempo de navegação por pessoa. ‘Automóveis’, ‘Casa e Moda’, ‘Comércio Eletrônico’, ‘Notícias e Informações’, ‘Buscadores’ e ‘E-mail’ foram as que registraram o maior aumento do tempo de permanência por usuário nos últimos seis meses”.