Mais de sete mil crianças em Broward esperam por vaga em pré-escola

0
444

O segredo é providenciar a documentação necessária, com comprovação de renda, mas a espera por uma vaga pode demorar até mais do que um ano

Cerca de 7500 crianças de zero a três anos estão na lista da Family Central no condado de Broward esperando uma vaga em pré-escola. A entidade não governamental oferece auxilio escolar a crianças de famílias de baixa renda. O problema não é a falta de vagas nas escolas, mas, sim, a falta de recursos da entidade em bancar a escola para essas crianças. Atualmente, a FC oferece auxílio escola e demais serviços para 150 mil crianças em Broward e Palm Beach.

Toda família de baixa renda, cujos pais trabalhem e/ou estudem, tem direito a requerer o auxílio da Family Central. A entidade paga a maior parte da mensalidade da pré-escola dos pequenos ou, às vezes, custeia 100% da educação da criança dependente da situação financeira dos pais. O problema é a falta de dinheiro. Existe uma lista e ninguém pode furar fila, revela a presidente da entidade, Barbara Weinstein.

Ela explica ainda que as famílias devem apresentar e comprovar toda a documentação necessária, obedecendo às regras estaduais. Por este motivo, a entidade não pode atender às reclamações dos pais. A Family Central recebe anualmente cerca de $65 milhões do governo federal, estadual e do condado de Broward, mas o valor não seria suficiente para atender à demanda em Broward e Palm Beach. No condado vizinho, outras seis mil crianças também estão na fila.

Por lei, esclarece Barbara Weinstein, nada pode fazer com que uma criança ou outra seja preterida na fila de espera. Ela referiu-se ao caso da brasileira Vanusa Morelli, mãe de Lohan, de três anos, que é portadora da Síndrome de Down. Vanusa não conseguiu comprovar a renda, uma das exigências legais, e acabou perdendo os recursos para pagamento da escola da filha. É muito duro dizer não para uma família, mas temos que seguir as regras impostas pelo Estado, enfatizou.

Pelas regras, as necessidades especiais da criança, ou dificuldades familiares dos pais, como doenças, não são levadas em consideração na fila de espera. O que vale é a data em que a criança foi registrada junto a FC e se os pais se enquadram nas exigências impostas pelo governo. Por isso, explica a vice-presidente Kim Praitano, a entidade aconselha que a família inscreva a criança logo após o nascimento.
A espera pode demorar até um ano no condado de Broward, revela.

Regras

Segundo as regras impostas pelo governo, toda criança tem direito ao recurso para pagamento da pré-escola, independente das condições imigratórias dos pais. A FC não mantém vínculo com o Departamento de Imigração e/ou polícia, mas a criança precisa estar legalizada nos Estados Unidos para receber o benefício.

Em casos onde a FC não pode oferecer recursos para pagamento da pré-escola, a entidade ainda oferece outros serviços, tais como classes para pais, treinamento para professores, encaminhamento para serviços terapêuticos e inscrição para o pré-kindergarden (VPK sigla em inglês). Para usufruir deste último programa, qualquer criança que completar quatro anos antes do dia primeiro de setembro tem direito a ir para a escola por três horas diárias gratuitamente, somando no máximo 540h escolares por ano. Para esse beneficio não existe fila ou limite de recursos, todos, sem exceção são aceitos.